- Anúncios -
x

Bibliatodo Comentários


Diário Viver
Provérbios 5

1. Filho meu, atende a minha sabedoria; à minha inteligência inclina os ouvidos

2. para que conserves a discrição, e os teus lábios guardem o conhecimento;

3. porque os lábios da mulher adúltera destilam favos de mel, e as suas palavras são mais suaves do que o azeite;

4. mas o fim dela é amargoso como o absinto, agudo, como a espada de dois gumes.

5. Os seus pés descem à morte; os seus passos conduzem-na ao inferno.

6. Ela não pondera a vereda da vida; anda errante nos seus caminhos e não o sabe.

7. Agora, pois, filho, dá-me ouvidos e não te desvies das palavras da minha boca.

8. Afasta o teu caminho da mulher adúltera e não te aproximes da porta da sua casa;

9. para que não dês a outrem a tua honra, nem os teus anos, a cruéis;

10. para que dos teus bens não se fartem os estranhos, e o fruto do teu trabalho não entre em casa alheia;

11. e gemas no fim de tua vida, quando se consumirem a tua carne e o teu corpo,

12. e digas: Como aborreci o ensino! E desprezou o meu coração a disciplina!

13. E não escutei a voz dos que me ensinavam, nem a meus mestres inclinei os ouvidos!

14. Quase que me achei em todo mal que sucedeu no meio da assembléia e da congregação.

15. Bebe a água da tua própria cisterna e das correntes do teu poço.

16. Derramar-se-iam por fora as tuas fontes, e, pelas praças, os ribeiros de águas?

17. Sejam para ti somente e não para os estranhos contigo.

18. Seja bendito o teu manancial, e alegra-te com a mulher da tua mocidade,

19. corça de amores e gazela graciosa. Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias.

20. Por que, filho meu, andarias cego pela estranha e abraçarias o peito de outra?

21. Porque os caminhos do homem estão perante os olhos do SENHOR, e ele considera todas as suas veredas.

22. Quanto ao perverso, as suas iniqüidades o prenderão, e com as cordas do seu pecado será detido.

23. Ele morrerá pela falta de disciplina, e, pela sua muita loucura, perdido, cambaleia.

×
Provérbios 5

5.3 Esta "mulher estranha" é uma prostituta. Por diferentes raciocine, Provérbios contém muitas advertências contra as relações sexuais ilícitas. Em primeiro lugar, o encanto de uma prostituta se utiliza como um exemplo de qualquer tentação para fazer o mal ou para abandonar a busca de sabedoria. Em segundo lugar, a imoralidade sexual de qualquer tipo foi e segue sendo extremamente perigosa. Destrói a vida familiar. Desgasta nossa capacidade de amar. Degrada aos seres humanos e os converte em objetos. Pode ocasionar enfermidades. Pode dar como resultado filhos não desejados. Terceiro, a imoralidade sexual vai contra a lei de Deus. 5.3-8 Toda pessoa deveria estar em guarda contra os que usam a adulação ou zalamería (lábios que destilam mel) que a levará a pecar. O melhor conselho é tomar um desvio e até evitar a conversação com tais pessoas. 5.11-13 Ao final de sua vida, será muito tarde para pedir conselho. Quando o desejo se ativa plenamente, a gente não quer conselho, a não ser satisfação. O melhor momento para aprender sobre os perigos e o disparate de ir depois das relações sexuais ilícitas (ou algo prejudicial) é muito antes de que apareça a tentação. É mais fácil resistir se a decisão já se tomou de antemão. Não espere para ver o que acontece. Prepare-se para a tentação e dita agora o que fará quando tiver que enfrentá-la. 5.15 "Bebe a água de sua mesma cisterna" é uma ilustração da fidelidade no matrimônio. Significa desfrutar do cônjuge que Deus lhe deu. Em terras desérticas, a água é valiosa, e um poço é a posse mais importante de uma família. Na época do Antigo Testamento se considerava um crime roubar água de um poço alheio, assim como era um crime ter relações sexuais com a mulher de outro homem. Em ambos os casos o ofensor punha em perigo a saúde e segurança de uma família. 5.15-21 Em contraste com a maior parte do que lemos, vemos e ouvimos hoje, esta passagem precatória aos casais a procurar em seu cônjuge satisfação e companheirismo para toda a vida. Muitas tentações se apresentam aos cônjuges para que abandonem ao outro pela excitação e os prazeres que se encontram em qualquer outra parte quando o matrimônio se volta monótono. Entretanto, Deus ordenou o matrimônio e o santificou, e só dentro desta relação de compromisso se pode encontrar a satisfação e o amor verdadeiros. Não permita que o melhor que Deus tem para você se desperdice na ilusão de pastos mais verdes de outro lugar. Pelo contrário, regozije-se com seu cônjuge e entreguem-se a Deus e o um ao outro. 5.18-20 Não era a intenção de Deus de que a fidelidade no matrimônio fora aborrecida, sem vida, sem prazer e monótona. As relações sexuais são presente que Deus dá às pessoas casada para seu gozo mútuo. A verdadeira felicidade surge quando decidimos procurar o prazer na relação que Deus nos deu ou nos dará, e nos comprometer para fazê-lo agradável para nosso cônjuge. O verdadeiro perigo é duvidar de que Deus nos conhece e se preocupa conosco. Então pode ser que nos resintamos por seu tempo e procuremos prazer sexual imprudentemente, sem sua bênção. 5.19 Veja-se Cantar dos cantar 4 onde encontrará paralelos com esta expressão franco do gozo do prazer sexual no matrimônio.