- Anúncios -
x

Bibliatodo Comentários




Diário Viver
Mateus 4

1. Então, foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo.

2. e, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome;

3. E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.

4. Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.

5. Então o diabo o transportou à Cidade Santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo,

6. e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos dará ordens a teu respeito, e tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra.

7. Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus.

8. Novamente, o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles.

9. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.

10. Então, disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele servirás.

11. Então, o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos e o serviram.

12. Jesus, porém, ouvindo que João estava preso, voltou para a Galiléia.

13. E, deixando Nazaré, foi habitar em Cafarnaum, cidade marítima, nos confins de Zebulom e Naftali,

14. para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías, que diz:

15. A terra de Zebulom e a terra de Naftali, junto ao caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia das nações,

16. o povo que estava assentado em trevas viu uma grande luz; e aos que estavam assentados na região e sombra da morte a luz raiou.

17. Desde então, começou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos céus.

18. E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores.

19. E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens.

20. Então, eles, deixando logo as redes, seguiram-no.

21. E, adiantando-se dali, viu outros dois irmãos: Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, num barco com Zebedeu, seu pai, consertando as redes; e chamou-os.

22. Eles, deixando imediatamente o barco e seu pai, seguiram-no.

23. E percorria Jesus toda a Galiléia, ensinando nas suas sinagogas, e pregando o evangelho do Reino, e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo.

24. E a sua fama correu por toda a Síria; e traziam-lhe todos os que padeciam acometidos de várias enfermidades e tormentos, os endemoninhados, os lunáticos e os paralíticos, e ele os curava.

25. E seguia-o uma grande multidão da Galiléia, de Decápolis, de Jerusalém, da Judéia e dalém do Jordão.

×
Mateus 4

4.1 Este tempo de prova mostra que Jesus era realmente o Filho de Deus, capaz de superar a Satanás e suas tentações. Uma pessoa não pode demonstrar obediência verdadeira se não ter a oportunidade de ser desobediente. Em Deu 8:2, Deus guiou ao Israel para o deserto para afligi-los e prová-los. Queria ver como reagiam e se estavam dispostos a lhe obedecer. Também nós seremos provados. Sabendo que a prova virá, devêssemos estar alertas e preparados para enfrentá-la. Terá que tomar em conta Mat 26:41 : "a carne é fraco". Suas convicções são boas se resistirem sob pressão! 4.1 Satanás tentou a Eva no jardim, e aqui prova ao Jesus no deserto. Satanás é um anjo cansado. Existe seriamente, não é simbólico, e constantemente está lutando contra os que obedecem e seguem a Deus. As tentações de Satanás são reais. O quer que façamos as coisas a sua maneira ou a nossa, mas não como Deus quer. Jesus um dia vai reinar sobre toda a criação, mas Satanás queria que Jesus se proclamasse rei prematuramente. Se Jesus o fazia, sua missão na terra, morrer por nossos pecados e nos dar a oportunidade de ter vida eterna, arruinava-se. Quando as tentações parecem ser duras, ou quando pensar que podem ser racionalizadas, pense que o diabo poderia estar procurando estorvar o propósito de Deus para sua vida. 4.1ss Esta tentação de Satanás serve para nos mostrar que Jesus era humano e proporcionou ao Jesus a oportunidade de reafirmar o plano de Deus para seu ministério. Também nos dá um exemplo a seguir quando somos tentados. A tentação do Jesus foi importante porque demonstra sua ausência de pecado. Foi tentado e não cedeu à tentação. 4.1ss Satanás tentou ao Jesus, mas Jesus nunca pecou. Poderíamos nos sentir sujos depois de uma tentação; entretanto, a tentação em si não é pecado. Pecamos quando cedemos e desobedecemos a Deus. nos recordá-lo ajudará a nos manter afastados da tentação. 4.1ss Jesus não foi tentado no templo nem em seu batismo, a não ser no deserto; estava cansado, solitário e faminto, e portanto muito vulnerável. Satanás, com freqüência, nos prova quando somos vulneráveis: quando estamos cansados, solitários, enfrentando decisões importantes ou incerteza. Mas Satanás gosta também de nos tentar por meio de nossas virtudes, no momento em que somos suscetíveis ao orgulho (veja-a nota de Luk 4:3ss). Devemos estar em guarda em todo momento contra seus ataques. 4.1-10 As tentações de Satanás se enfocam em três coisas: (1) desejos físicos, (2) posses e poder, e (3) orgulho (em 1Jo 2:15-16 achará uma lista similar). Mas Jesus não cedeu. Hb 4:15-16 diz que Jesus foi tentado como nós o somos, mas que O não cedeu nem uma vez e não pecou. Sabe por experiência própria o que estamos experimentando. A deseja e tem todo poder para nos ajudar em nossas dificuldades. Quando for tentado, volte-se para O em busca de fortaleza. 4.3, 4 Jesus estava faminto e débil logo depois de um jejum de quarenta dias, mas optou por não usar seu poder divino para satisfazer a necessidade natural de alimento. Os mantimentos, a fome e os desejos de comer são bons, mas o momento não o era. Tinha decidido pôr a um lado o uso ilimitado e independente de seu poder divino a fim de experimentar sua humanidade em plenitude. Também nós podemos ser tentados a satisfazer um desejo normal em uma forma incorreta ou em um mau momento. Se formos indulgentes com o sexo antes do matrimônio ou se roubarmos para obter mantimentos, estamos procurando satisfazer desejos que Deus nos deu em maneiras que Deus desaprova. Recorde, muitos de nossos desejos são normais e bons mas devem ser satisfeitos na forma correta e no momento oportuno. 4.3, 4 Jesus foi capaz de resistir todas as tentações de Satanás porque não somente conhecia as Escrituras, mas sim as obedecia. Eph 6:17 diz que a Palavra de Deus é uma arma, espada de dois fios, para ser usada em combate espiritual. Saber versículos bíblicos é importante para resistir os ataques de Satanás, mas devemos obedecê-los também. Note que o diabo também se sabe versículos das Escrituras, mas não os obedece. Conhecer e obedecer a Bíblia é cumprir os desejos de Deus antes que os de Satanás. 4.5 O templo era o centro religioso da nação e o lugar onde os judeus esperavam a chegada do Messías (Mal 3:1). Herodes o Grande tinha renovado o templo na esperança de ganhar a confiança dos judeus. O templo era o edifício mais alto da região, e o pináculo do templo era provavelmente a parede que me sobressaía do lado da colina, de onde se podia ver o vale. Desde este lugar, Jesus podia ver Jerusalém e vários quilômetros à redonda. 4.5-7 Deus não é nosso mago nos céus. Em resposta às tentações de Satanás, Jesus disse que a Deus não devia lhe pôr provas néscias (Deu 6:16). Você pode desejar pedir a Deus que faça algo para demonstrar sua existência ou seu amor. Em certa oportunidade um homem pediu ao Jesus que enviasse um sinal para que a gente acreditasse. Jesus lhe disse que o que não crie através do que está escrito na Bíblia não acreditará embora alguém ressuscite para lhe admoestar (veja-se Luk 16:31). O quer que vivamos por fé, não por vista. Não tente a Deus nem trate de manipulá-lo. 4.6 Satanás citou as Escrituras para fazer que Jesus pecasse! Algumas vezes os amigos apresentam razões atrativas e convincentes para nos induzir a fazer o que sabemos que não é correto. Inclusive procuram versículos bíblicos que aparentemente apóiam seu ponto de vista. Estude a Bíblia cuidadosamente, note-se no contexto dos versículos, de modo que possa entender os princípios de Deus e o que é o que O quer para você. Solo ao compreender realmente o que a Bíblia diz em sua totalidade, poderá reconhecer enganos de interpretação quando a gente use versículos fora de contexto e os torçam para que digam o que querem que diga. 4.8, 9 Tinha Satanás poder para dar ao Jesus os reino do mundo? Acaso Deus não tem controle sobre eles? Satanás pôde ter estado mentindo a respeito do que implicava seu poder ou pôde estar refiriéndose a seu domínio temporário na terra por causa da natureza pecadora da humanidade. A tentação que apresentou ao Jesus foi mostrar ao mundo que ele já era seu governante, sem ter que executar o plano de salvação. O diabo esteve tratando de distorcer a perspectiva do Jesus procurando que sua atenção estivesse posta no poder do mundo e não nos planos de Deus. 4.8-10 Satanás ofereceu ao Jesus o mundo inteiro se ficava de joelhos e lhe adorava. Hoje Satanás nos oferece o mundo tratando de nos adular podendo e materialismo. Podemos fazer frente às tentações na mesma forma em que o fez Jesus. Se alguma vez você desejasse o que o mundo lhe oferece, tome nota de Deu 6:13 : "Ao Jeová seu Deus temerá, e ao solo servirá". 4.11 Os anjos, como os que ajudaram ao Jesus, têm um papel significativo como mensageiros de Deus. São seres espirituais que tiveram que ver com a vida terrestre do Jesus ao (1) anunciar seu nascimento a María, (2) tranqüilizar ao José (3) dar nome ao Jesus, (4) anunciar seu nascimento aos pastores, (5) proteger ao Jesus, enviar sua família ao Egito, (6) socorrê-lo no Getsemaní. Para maior informação sobre os anjos, veja-a nota em 1.20. 4.12, 13 Jesus se transladou do Nazaret, onde vivia, ao Capernaum, 32 km ao norte. No Capernaum chegou a estar seu centro de operações durante seu ministério na Galilea. Provavelmente se transladou para (1) manter-se à margem da oposição intensa e da apatia no Nazaret, (2) impactar na população mais numerosa (Capernaum era uma cidade ativa e a mensagem do Jesus pôde chegar a maior quantidade de pessoas e pulverizar-se mais rapidamente), (3) valer-se de maiores recursos e apoio a seu ministério. O traslado do Jesus cumpria a profecia de Isa 9:1-2 que assinalava que Jesus, o Messías, seria luz à terra do Zabulón e Neftalí, a região da Galilea em que Capernaum estava localizada. 4.14-16 Mateus continua vinculando o ministério do Jesus com o Antigo Testamento ao referir-se ao Isaías. Isto era uma ajuda para a audiência judia, quem conhecia as Escrituras. 4.17 "O reino dos céus" significa quão mesmo o "Reino de Deus" no Marcos e Lucas. Mateus usou esta frase tomando em conta aos judeus, quem por respeito e profunda reverência não pronunciavam o nome de Deus. O reino dos céus está perto, porque chegou a nossos corações. Veja-a nota de 3.2. 4.17 Jesus começou seu ministério com a mesma frase que a gente tinha ouvido do João o Batista: "Arrepentíos, porque o reino dos céus se aproximou". A mensagem é o mesmo hoje. Ser seguidor de Cristo significa nos apartar de nosso egocentrismo, do domínio do "ego", e pôr nossa vida sob a direção de Cristo. 4.18 O mar da Galilea é em realidade um lago grande. Uns trinta povos de pescadores o rodeavam nos dias do Jesus, e Capernaum era o major. 4.18-20 Jesus disse ao Pedro e ao Andrés que deviam deixar sua pescaria para converter-se em "pescadores de homens" e ajudar às pessoas a achar a Deus. Jesus lhes convidava a que deixassem um negócio produtivo para ser espiritualmente produtivos. Todos temos que pescar almas. Se seguirmos o exemplo de Cristo e seus ensinos e as pomos em prática, poderemos "apanhar" aos que estão a nosso redor para Cristo como o faz o pescador que apanha peixes em sua rede e os põe em seu bote. 4.19, 20 Aqueles homens já conheciam o Jesus. O tinha falado com o Pedro e Andrés anteriormente (Joh 1:35-42) e tinha pregado na região. Quando Jesus os chamou, eles sabiam que classe de homem era e estavam dispostos a lhe seguir. Não estavam em um transe hipnótico quando lhe seguiram, a não ser totalmente convencidos de que lhe seguindo suas vidas trocariam para sempre. 4.21, 22 Santiago e seu irmão, João, assim como Pedro e Andrés, foram os primeiros discípulos que Jesus chamou para que trabalhassem com O. Ao chamá-los Jesus, levantaram-se e deixaram imediatamente suas tarefas. Não responderam com desculpas. Responderam imediatamente e lhe seguiram. Jesus chama a cada um de nós a segui-lo. Quando nos pede que o sirvamos, devemos atuar como o fizeram eles e de uma vez. 4.23 Jesus pregava, ensinava e sanava. Estes foram os três aspectos mais sobressalentes de seu ministério. Ao ensinar mostrava seu interesse de que entendessem; ao pregar mostrava seu interesse em uma entrega, e ao sanar mostrava seu interesse na pessoa total. Seus milagres de sanidade autenticavam seus ensinos e seu predicación, e demonstravam que seriamente vinha de Deus. 4.23 Jesus logo desenvolveu um ministério de predicación poderoso e com freqüência falava na sinagoga. A maior parte dos povos que tinham dez ou mais famílias judias tinham uma sinagoga. O edifício servia para reuni-los sábados e como escola durante a semana. O líder da sinagoga não era um pregador mas sim mas bem um administrador. Sua tarefa consistia em convidar rabinos para que ensinassem e pregassem. O costume incluía convidar a rabinos visitantes como Jesus a lhes falar. 4.23, 24 Jesus pregava as boas novas ou boas notícias a tudo o que queria as ouvir. As boas novas som que o reino dos céus já chegou, que Deus está conosco, e que se ocupa de nós. Pode nos sanar, não só das enfermidades físicas, mas também das espirituais. Não pecou nem problema muito grande nem muito pequeno para O. As palavras do Jesus eram boas novas porque ofereciam liberdade, esperança, paz e vida eterna com Deus. 4.25 Decápolis formava uma liga de dez cidades gentis unidas pelo comércio e a defesa mútua. A expressão "e lhe seguiu muita gente", indica que judeus e gentis atravessavam largas distâncias para lhe ouvir. AS TENTAÇÕES Tentação: Faz pão Necessidade real tomada como base para a tentação: Necessidade física: Fome Dúvidas que pudesse ter tido: Enviará Deus comida? Debilidades que Satanás procurou explorar: Fome, impaciência, necessidade de "provar seu caráter de Filho" Resposta do Jesus : Deu 8:3 "Esperar em Deus" Enfoque: Propósitos de Deus Tentação: Desafia a Deus a que te resgate (apoiado em uma passagem má aplicada do Psa 91:11-12). Necessidade real tomada como base para a tentação: Necessidade emocional: Segurança Dúvidas que pudesse ter tido: Protegerá-me Deus? Debilidades que Satanás procurou explorar: Orgulho, insegurança, necessidade de provar a Deus Resposta do Jesus : Deu 6:16 "Não tentar a Deus" Enfoque: Plano de Deus Tentação: me adore! (a Satanás) Necessidade real tomada como base para a tentação: Necessidade sicológica: Significado, poder, lucro Dúvidas que pudesse ter tido: Reinará Deus? Debilidades que Satanás procurou explorar: Desejo de poder imediato, soluções fáceis, necessidade de demonstrar igualdade com Deus Resposta do Jesus : Deu 6:13 "Não transigir com o maligno" Enfoque: Deus mesmo A maneira de prova final em sua preparação, Satanás tentou ao Jesus no deserto. Três partes da tentação se registram no Mateus. São-nos comuns porque nós enfrentamos as mesmas tentações. Como mostra o bosquejo, a tentação é uma combinação de necessidade real e dúvida lógica que provoca um desejo inapropriado. Jesus demonstrou a importância e a efetividade de conhecer e aplicar as Escrituras ao combater a tentação.