x

Bibliatodo Comentários

Anúncios


Diário Viver
Mateus 3

1. E, naqueles dias, apareceu João Batista pregando no deserto da Judéia

2. e dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o Reino dos céus.

3. Porque este é o anunciado pelo profeta Isaías, que disse: Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas.

4. E este João tinha a sua veste de pêlos de camelo e um cinto de couro em torno de seus lombos e alimentava-se de gafanhotos e de mel silvestre.

5. Então, ia ter com ele Jerusalém, e toda a Judéia, e toda a província adjacente ao Jordão;

6. e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados.

7. E, vendo ele muitos dos fariseus e dos saduceus que vinham ao seu batismo, dizia-lhes: Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira futura?

8. Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento

9. e não presumais de vós mesmos, dizendo: Temos por pai a Abraão; porque eu vos digo que mesmo destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão.

10. E também, agora, está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada no fogo.

11. E eu, em verdade, vos batizo com água, para o arrependimento; mas aquele que vem após mim é mais poderoso do que eu; não sou digno de levar as suas sandálias; ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo.

12. Em sua mão tem a pá, e limpará a sua eira, e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que nunca se apagará.

13. Então, veio Jesus da Galiléia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele.

14. Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim?

15. Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o permitiu.

16. E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele.

17. E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.

×
Mateus 3

3.1, 2 Tinham acontecido quase trinta anos do fato narrado no capítulo 2. Agora João o Batista aparece na cena. Seu tema era: "Arrepentíos de seus pecados e lhes volte para Deus". Queria dizer que devemos fazer um giro de 180 graus, do eu centralizado que conduz a ações errôneas como as de mentir, fofocar, roubar, caluniar, vingar-se, abusar e cometer atos sexuais imorais, até nos situar no caminho que Deus descreve em sua Palavra. O primeiro passo para nos voltar para Deus é confessar nossos pecados, como João nos urge a que façamos. Logo Deus nos receberá e nos ajudará a viver a vida que quer que vivamos. Recorde que só Deus pode nos liberar do pecado. O não espera que nos limpemos nossas vidas antes de ir ao. 3.2 O reino dos céus começa quando Deus entra na história humana como homem. Hoje Jesus reina no coração dos crentes, mas o reino dos céus não será uma realidade até que a maldade que há no mundo seja julgada e removida. A primeira vez Cristo veio à terra como um servo sufriente; quando retornar virá como Rei e julgará na terra como vencedor. HERODES A Bíblia narra a história. demonstrou ser um preciso e fidedigno registro de pessoas, feitos e lugares. Há narrações históricas independentes que verificam as descrições e dados de muitas vidas famosas que oferece a Bíblia. Uma destas foi o pai da família herodiana, Herodes o Grande. Ao Herodes lhe recorda como construtor de cidades e grande reconstructor do templo de Jerusalém. Mas também destruiu pessoas. Mostrou pouca grandeza até em suas ações pessoais e em seu caráter. Foi despótico ao governar seu território. Seu constante ciúmes o levaram a ser o assassino de muitos meninos e de sua esposa Mariamne. O título do Herodes, rei dos judeus, o concedeu Roma, mas o povo nunca o aceitou. Não era da linhagem do Davi, e era só meio judeu. Apesar de que o Israel se beneficiou dos enormes esforços do Herodes ao reparar o templo de Jerusalém, não lhe perdoou que refaccionara também templos pagãos. Seu custoso intento por ganhar a lealdade da gente fracassou porque era superficial. Sua lealdade era para si mesmo. Porque seu título real não era legítimo, Herodes sempre esteve preocupado e temeroso de perder seu cargo. Suas ações, quando ouviu dos magos que procuravam o novo rei, respaldam tudo o que sabemos em relação com ele. Em seguida quis localizar e matar ao menino antes de que lhe causasse problema. A matança de meninos inocentes que ordenou que é uma lição trágica do que pode acontecer quando as ações estão motivadas pelo egoísmo. A suspicacia do Herodes afetou até a sua família. Se autodestruyó. Pontos fortes e lucros : -- Recebeu dos romanos o título de rei dos judeus -- Manteve-se no poder por mais de trinta anos -- Foi um governante efetivo, embora tirânico -- Auspiciou a construção de numerosos edifícios importantes Debilidades e enganos : -- Teve a tendência de tratar aos que o rodeavam com temor, suspicacia e ciúmes -- Teve vários filhos e ao final mandou matar a sua esposa -- Ordenou a morte dos meninos de Presépio -- Apesar de proclamar-se adorador de Deus, participava de muitas formas de paganismo Lições de sua vida : -- O grande poder não oferece paz nem segurança -- Ninguém pode impedir de levar a cabo os planos de Deus -- A lealdade superficial não impressiona às pessoas ou a Deus Dados gerais : -- Ocupação: Rei da Judea de 37 a 4 a.C. -- Familiares: Pai: Antípater. Filhos: Arquelao, Antípater, Antipas, Felipe e outros. Algemas: Doris, Mariamne e outras -- Contemporâneos: Zacarías, Elisabet, María, José, Marco Antonio, Augusto Há notas a respeito do Herodes o Grande em Mat 2:1-22 e Luk 1:5. 3.3 O profeta aludido é Isaías (40.3), um dos grandes profetas do Antigo Testamento e um dos mais mencionados no Novo. Como Isaías, João foi um profeta que urgiu a que a gente confessasse seus pecados e vivesse para Deus. Ambos os profetas ensinaram que a mensagem do arrependimento é de boas novas a aqueles que escutam e procuram o perdão curador do amor de Deus, mas é mensagem terrível a aqueles que rehúsan ouvir e cortam sua única fonte de esperança eterna. 3.3 João o Batista preparou o caminho do Jesus. Às pessoas que não conhecem o Jesus terá que as preparar para encontrar-se com O. Podemos prepará-los lhes explicando que necessitam perdão, mostrando em nossas vidas os ensinos do Jesus, e dizendocomo Cristo pode dar sentido a suas vidas. Podemos retificar o caminho corrigindo concepctos errados que podem estar lhes impedindo de aproximar-se de Cristo. Alguma pessoa que você conhece pode estar aberta a estabelecer uma relação com Cristo. O que pode fazer para lhe preparar o caminho a essa pessoa? 3.4 João era bem distinto a outros líderes de sua época. Enquanto muitos eram avaros, egoístas e dedicados principalmente a ganhar o louvor da gente, João se preocupava sozinho em elogiar a Deus. Havendo-se afastado da maldade e hipocrisia de seus dias, viveu em forma diferente para mostrar que sua mensagem era nova. João não só pregava a Lei de Deus, mas sim a vivia. 3.4-6 João tem que ter tido um aspecto estranho! Muita gente ia ouvir aquele pregador que vestia roupa excêntrica e se alimentava com comida pouco comum. Alguns foram, provavelmente, movidos pela curiosidade e terminaram arrependendo-se de seus pecados para ouvir sua mensagem poderosa. A gente pode achar estranha nossa forma de viver e valorar as coisas. Podemos aproveitar essa curiosidade para falar de como Cristo transformou nossa vida. Jesus COMEÇA SEU MINISTÉRIO : Jesus abandonou Nazaret, o povo onde se criou, para começar seu ministério terrestre. Depois que João o Batista o batizasse no rio Jordão e que Satanás o tentasse no deserto, retornou a Galilea. Entre a tentação e seu traslado ao Capernaum (4.12, 13) ministró na Judea, Samaria e Galilea (veja-se João 1-4). 3.5 por que João atraía tanta gente? Era o primeiro profeta verdadeiro no lapso de 400 anos. Enfrentou ao rei Herodes e aos líderes religiosos, o que não só era perigoso a não ser fascinante para a gente comum. Mas João também tinha palavras duras para com eles: eles também eram pecadores e precisavam arrepender-se. Sua mensagem era poderosa e real. A gente estava esperando a um profeta como Elías (Mal 4:5) e João parecia sê-lo! 3.6 Quando você se lava as mãos, os resultados em seguida se notam. Mas o arrependimento tem lugar no interior com uma limpeza que não é vista em forma imediata. De maneira que João se valeu de ato simbólico que a gente podia ver: o batismo. O batismo o usavam os judeus para iniciar aos convertidos ao judaísmo. De modo que a audiência do João conhecia bem o rito. O batismo era sinal de arrependimento e perdão. Arrepender-se é "trocar de atitude", e inclui uma mudança de conduta. É dar volta do pecado para Deus. Você se arrependeu que pecado em sua vida? Podem ver outros a diferença em você? Uma vida trocada com uma conduta nova e diferente faz do arrependimento algo real e visível. 3.6 O rio Jordão tem 110 km de comprimento, no que seria a parte mais importante, isto é, entre o Mar da Galilea e o Mar Morto. Jerusalém se acha 30 km ao oeste do rio. Era o limite do Israel neste parte e muitos acontecimentos significativos na história da nação tiveram lugar ali. No rio Jordão os israelitas renovaram seu pacto com Deus (Josué 1, 2). Nesse mesmo lugar João o Batista os convidou a fazer o mesmo, esta vez através do batismo. 3.7 Os líderes religiosos judeus estavam divididos em grupos diferentes. Dois dos mais proeminentes eram os fariseus e os saduceos. Os fariseus se separavam de tudo o que não fora judeu e seguiam escrupulosamente tanto as leis do Antigo Testamento como as tradições orais que lhes tinha chegado através dos séculos. Os saduceos acreditavam que solo o Pentateuco era a Palavra de Deus (de Gênese ao Deuteronomio). Principalmente eram descendentes da nobreza sacerdotal, enquanto que os fariseus vinham de todos os níveis sociais. Ambos os grupos se rechaçavam mutuamente, mas em forma conjunta se opuseram ao Jesus. João o Batista criticou aos fariseus por ser legalistas e hipócritas que seguiam ao pé da letra a Lei enquanto passavam por cima sua verdadeira intenção. Criticou aos saduceos por usar a religião para favorecer sua posição política. Para mais informação sobre estes dois grupos veja o quadro do Marcos 2. 3.8 João o Batista exortava às pessoas a ir além das palavras e os ritos: deviam trocar de conduta. Deus olhe além de nossas palavras e atividades religiosas para ver se nossas palavras respaldam nossas vidas e julga nossas palavras pelas ações que as acompanham. Estão de acordo suas palavras com suas ações? 3.9, 10 Assim como se espera que uma árvore frutífera dê frutos, o povo de Deus devesse produzir uma colheita de bons atos. Deus não usa ao que diz ser cristão mas não faz nada para demonstrá-lo. Como muita gente nos dias do João que eram povo de Deus só de nome, não há valor algum em nós se simplesmente formos cristãos de nome. Se outros não podem ver nossa fé na forma em que vivemos, possivelmente não somos membros do povo de Deus. 3.10 A mensagem de Deus não experimentou mudanças do Antigo Testamento: as pessoas serão julgadas por suas vidas improdutivas. Deus espera que sejamos ativos em nossa obediência. João compara às pessoas que dizem acreditar em Deus e que não vivem para Deus com "árvores improdutivas" que serão destruídos. Para ser produtivos para Deus, devemos obedecer seus ensinos, resistir a tentação, servir e ajudar ativamente a nosso próximo e pregar de nossa fé. Quão produtivo é você para Deus? 3.11 João batizava às pessoas como sinal de que tinham pedido a Deus o perdão de seus pecados e se decidiram a viver como O queria que o fizessem. O batismo é um sinal exterior. Mas o sinal indisputável do arrependimento é a vida trocada para bem. Não é a água do batismo o que troca vistas, a não ser a atitude do coração. João disse que Jesus batizaria com o Espírito Santo e fogo. Isto predizia o Pentecostés (Feitos 2), quando Jesus enviaria ao Espírito Santo em forma de línguas de fogo a dotar de poder a seus seguidores para que pregassem o evangelho. Também simboliza a obra do Espírito Santo trazendo julgamento de Deus sobre aqueles que rehúsan arrepender-se. Todos serão batizados um dia: agora pelo Espírito Santo ou mais tarde pelo fogo do julgamento. 3.12 O grão é a parte da planta que é utilizável; a palha é a casca exterior sem valor. Por ser inútil, a palha se queima; o grão, em troca, guarda-se no celeiro. As pessoas que não se arrependeram serão julgadas e desprezadas porque não têm valor na obra de Deus; os que se arrependam e criam serão salvos e Deus os usará. 3.13-15 João estava explicando que o batismo do Jesus seria muito mais valioso que o seu, quando sorpresivamente Jesus se apresentou para ser batizado! João não se sentia qualificado. Mas bem queria que Jesus o batizasse. por que se batizou Jesus? Não tinha do que arrepender-se porque não tinha pecado. Jesus se batizou porque (1) estava confessando pessoalmente o pecado da nação, como Nehemías, Esdras, Moisés e Daniel o fizeram; (2) apoiava o que João estava fazendo; (3) estava inaugurando seu ministério público; (4) estava-se identificando com a gente do povo, não com os fariseus criticones que não faziam mais que vigiá-lo; (5) estava descrevendo seu ministério vindouro de morte e ressurreição. Jesus, o homem perfeito, não tinha que batizar-se, mas aceitou o batismo em serviço obediente ao Pai, e Deus lhe manifestou aprovação. 3.15 Fique nos sapatos do João. Seu trabalho vai bem, a gente está reagindo positivamente, seu ministério está florescente. Mas você sabe que o propósito de seu trabalho é preparar os corações da gente para a chegada do Jesus (Joh 1:35-37). Jesus chega, e sua chegada põe a prova sua integridade. Poderá dirigir a seus seguidores para O? João passou a prova ao batizar publicamente ao Jesus. Muito em breve ia e dizer: "É necessário que O cresça, mas que eu mingúe" (Joh 3:30). Podemos, a semelhança do João, pôr nosso ego e trabalho fecundo a um lado a fim de encaminhar a outros para o Jesus? Estamos dispostos a perder nossa posição para que outros se beneficiem? 3.16, 17 Segundo a doutrina da Trindade, Deus é três pessoas embora seja um em essência. Nesta passagem, as três pessoas da Trindade estão pressentem e ativas. Deus o Pai falou; Deus o Filho se batizou; Deus o Espírito Santo descendeu sobre o Jesus. Deus é um, mas de uma vez é três pessoas. Este é um dos mistérios incompreensíveis de Deus. Outras referências bíblicas que falam do Pai, do Filho e do Espírito Santo são Mat 28:19; Joh 15:26; 1Co 12:4-13; 2Co 13:14; Eph 2:18; 1Th 1:2-5 e 1Pe 1:2. OS FARISEUS E SADUCEOS Os fariseus e saduceos eram os dois grupos religiosos mais importantes no Israel no tempo do Jesus. Os fariseus tinham uma mentalidade mais religiosa, enquanto que os saduceos se destacavam por ser mais políticos. Ambos os grupos não se aceitavam nem confiavam mutuamente, entretanto, aliaram-se em sua inimizade para o Jesus. Nome FARISEUS





Anúncios