x

Bibliatodo Comentários

Anúncios


Diário Viver
Levítico 26

1. Não fareis para vós ídolos, nem vos levantareis imagem de escultura nem estátua, nem poreis figura de pedra na vossa terra, para inclinar-vos a ela; porque eu sou o SENHOR, vosso Deus.

2. Guardareis os meus sábados e reverenciareis o meu santuário. Eu sou o SENHOR.

3. Se andardes nos meus estatutos, e guardardes os meus mandamentos, e os fizerdes,

4. então, eu vos darei as vossas chuvas a seu tempo; e a terra dará a sua novidade, e a árvore do campo dará o seu fruto.

5. E a debulha se vos chegará à vindima, e a vindima se chegará à sementeira; e comereis o vosso pão a fartar e habitareis seguros na vossa terra.

6. Também darei paz na terra; e dormireis seguros, e não haverá quem vos espante; e farei cessar os animais nocivos da terra, e pela vossa terra não passará espada.

7. E perseguireis os vossos inimigos, e cairão à espada diante de vós.

8. Cinco de vós perseguirão um cento, e cem de vós perseguirão dez mil; e os vossos inimigos cairão à espada diante de vós.

9. E para vós olharei, e vos farei frutificar, e vos multiplicarei, e confirmarei o meu concerto convosco.

10. E comereis o depósito velho, depois de envelhecido; e tirareis fora o velho, por causa do novo.

11. E porei o meu tabernáculo no meio de vós, e a minha alma de vós não se enfadará.

12. E andarei no meio de vós e eu vos serei por Deus, e vós me sereis por povo.

13. Eu sou o SENHOR, vosso Deus, que vos tirei da terra dos egípcios, para que não fôsseis seus escravos; e quebrei os timões do vosso jugo e vos fiz andar direitos.

14. Mas, se me não ouvirdes, e não fizerdes todos estes mandamentos,

15. e se rejeitardes os meus estatutos, e a vossa alma se enfadar dos meus juízos, não cumprindo todos os meus mandamentos, para invalidar o meu concerto,

16. então, eu também vos farei isto: porei sobre vós terror, a tísica e a febre ardente, que consumam os olhos e atormentem a alma; e semeareis debalde a vossa semente, e os vossos inimigos a comerão.

17. E porei a minha face contra vós, e sereis feridos diante de vossos inimigos; e os que vos aborrecerem de vós se assenhorearão, e fugireis, sem ninguém vos perseguir.

18. E, se ainda com estas coisas não me ouvirdes, então, eu prosseguirei em castigar-vos sete vezes mais por causa dos vossos pecados.

19. Porque quebrantarei a soberba da vossa força; e farei que os vossos céus sejam como ferro e a vossa terra, como cobre.

20. E debalde se gastará a vossa força; a vossa terra não dará a sua novidade, e as árvores da terra não darão o seu fruto.

21. E, se andardes contrariamente para comigo e não me quiserdes ouvir, trazer-vos-ei praga sete vezes mais, conforme os vossos pecados.

22. Porque enviarei entre vós as feras do campo, as quais vos desfilharão, e desfarão o vosso gado, e vos apoucarão; e os vossos caminhos serão desertos.

23. Se ainda com estas coisas não fordes restaurados por mim, mas ainda andardes contrariamente comigo,

24. eu também convosco andarei contrariamente e eu, mesmo eu, vos ferirei sete vezes mais por causa dos vossos pecados.

25. Porque trarei sobre vós a espada, que executará a vingança do concerto; e ajuntados estareis nas vossas cidades; então, enviarei a peste entre vós, e sereis entregues na mão do inimigo.

26. Quando eu vos quebrantar o sustento do pão, então, dez mulheres cozerão o vosso pão num forno e tornar-vos-ão o vosso pão por peso; e comereis, mas não vos fartareis.

27. E, se com isto me não ouvirdes, mas ainda andardes contrariamente comigo,

28. também eu convosco andarei contrariamente em furor; e vos castigarei sete vezes mais por causa dos vossos pecados.

29. Porque comereis a carne de vossos filhos e a carne de vossas filhas comereis.

30. E destruirei os vossos altos, e desfarei as vossas imagens do sol, e lançarei o vosso cadáver sobre o cadáver dos vossos deuses; a minha alma se enfadará de vós.

31. E porei as vossas cidades por deserto, e assolarei os vossos santuários, e não cheirarei o vosso cheiro suave.

32. E assolarei a terra, e se espantarão disso os vossos inimigos que nela morarem.

33. E vos espalharei entre as nações e desembainharei a espada atrás de vós; e a vossa terra será assolada, e as vossas cidades serão desertas.

34. Então, a terra folgará nos seus sábados, todos os dias da sua assolação, e vós estareis na terra dos vossos inimigos; então, a terra descansará e folgará nos seus sábados.

35. Todos os dias da assolação descansará, porque não descansou nos vossos sábados, quando habitáveis nela.

36. E, quanto aos que de vós ficarem, eu meterei tal pavor no seu coração, nas terras dos seus inimigos, que o sonido duma folha movida os perseguirá; e fugirão como quem foge da espada; e cairão sem ninguém os perseguir.

37. E cairão uns sobre os outros como diante da espada, sem ninguém os perseguir; e não podereis parar diante dos vossos inimigos.

38. E perecereis entre as gentes, e a terra dos vossos inimigos vos consumirá.

39. E aqueles que entre vós ficarem se derreterão pela sua iniqüidade nas terras dos vossos inimigos e pela iniqüidade de seus pais com eles se derreterão.

40. Então, confessarão a sua iniqüidade e a iniqüidade de seus pais, com as suas transgressões, com que transgrediram contra mim; como também confessarão que, por terem andado contrariamente para comigo,

41. eu também andei com eles contrariamente e os fiz entrar na terra dos seus inimigos; se, então, o seu coração incircunciso se humilhar, e tomarem por bem o castigo da sua iniqüidade,

42. também eu me lembrarei do meu concerto com Jacó, e também do meu concerto com Isaque, e também do meu concerto com Abraão me lembrarei, e da terra me lembrarei.

43. E a terra será desamparada por eles e folgará nos seus sábados, sendo assolada por causa deles; e tomarão por bem o castigo da sua iniqüidade, em razão mesmo de que rejeitaram os meus juízos e a sua alma se enfastiou dos meus estatutos.

44. E, demais disto também, estando eles na terra dos seus inimigos, não os rejeitarei, nem me enfadarei deles, para consumi-los e invalidar o meu concerto com eles, porque eu sou o SENHOR, seu Deus.

45. Antes, por amor deles, me lembrarei do concerto com os seus antepassados, que tirei da terra do Egito perante os olhos das nações, para lhes ser por Deus. Eu sou o SENHOR.

46. Estes são os estatutos, e os juízos, e as leis que deu o SENHOR entre si e os filhos de Israel, no monte Sinai, pela mão de Moisés.

×
Levítico 26

26.1ss Este capítulo apresenta as duas alternativas de obediência e desobediência que Deus apresentou a seu povo (veja-se também Deuteronomio 28). A gente do Antigo Testamento foi advertida vez detrás vez contra a adoração de ídolos. Perguntamo-nos como puderam automóvel enganar-se com estes objetos de madeira e pedra. Entretanto, bem poderia Deus nos fazer a mesma advertência, já que tendemos a emprestar maior atenção a ídolos que a Deus. Idolatria é dar mais importância a algo antes que a Deus, e nossas vidas estão cheias dessa tentação. Dinheiro, aparência, êxito, reputação, segurança... estes são os ídolos de hoje. Ao olhar a estes deuses falsos que prometem tudo o que deseja mas nada do que necessita, parece-lhe que está tão afastada a idolatria de sua própria experiência? 26.13 Imagine o gozo de um escravo quando é deixado em liberdade. Deus tirou os filhos do Israel de uma amarga escravidão e lhes deu liberdade e dignidade. Também nós somos liberados quando aceitamos o pagamento que fez Cristo para nos redimir da escravidão do pecado. Já não precisamos nos esconder de vergonha por nossos pecados passados mas sim podemos caminhar com dignidade porque Deus nos perdoou e se esqueceu deles. Mas assim como os israelitas ainda corriam perigo de retornar a uma escravidão mental, precisamos estar alertas da tentação de retornar a nossos patrões passados de pecado. 26.18 Se os israelitas obedeciam, havia paz na terra. Se desobedeciam, haveria desastres. Deus usou as conseqüências do pecado para levá-los a arrependimento, não para vingar-se deles. Hoje, as conseqüências do pecado não são sempre tão evidentes. Quando nos açoita a calamidade possivelmente nem sequer saibamos a razão. Pode ser (1) o resultado de nossa própria desobediência, (2) o resultado do pecado de outro, (3) o resultado de um desastre natural. Já que não sabemos, temos que procurar em nossos corações para ver se estivermos em paz com Deus. Seu Espírito, como um grande refletor, revelará aquelas áreas nas que temos que trabalhar. devido a que a calamidade não é sempre o resultado de ter feito algo mau, devemos evitar nos culpar por cada tragédia que enfrentemos. Uma culpa que não nos corresponde é uma da armas favoritas de Satanás contra os crentes. 26.33-35 A advertência feita nestes versículos se fez realidade em 2 Rseis 17 e 25. O povo persistiu em sua desobediência, e à larga foi conquistado e levado às terras de Assíria e Babilônia. A nação permaneceu em cativeiro por setenta anos, em compensação por todos os anos que os israelitas não observaram a lei do ano sabático (2Ch 36:21). 26.40-45 Estes versículos mostram o que quis dizer Deus quando disse que era demoro para a ira (Exo 34:6). Mesmo que os israelitas tenham escolhido desobedecer e tenham sido pulverizados entre seus inimigos, Deus seguiria lhes dando a oportunidade de arrepender-se e voltar para O. Seu propósito não era destrui-los a não ser ajudá-los a crescer. Nossas experiências e dificuldades diárias em ocasiões resultam entristecedoras; a não ser que possamos ver que o propósito de Deus é produzir em nós um crescimento contínuo, é possível que se produza em nós desesperança. A esperança que precisamos está bem expressa em Jr 29:11-12 : "Porque eu sei os pensamentos que tenho a respeito de vós, diz Jeová, pensamentos de paz, e não de mau, para lhes dar o fim que esperam. Então me invocarão, e virão e orarão para mim, e eu lhes ouvirei". Manter a esperança enquanto sofremos mostra que entendemos a maneira misericordiosa em que Deus se relaciona com seu povo.





Anúncios