x

Bibliatodo Comentários

Anúncios


Diário Viver

João 14

1. Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.

2. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar.

3. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também.

4. Mesmo vós sabeis para onde vou e conheceis o caminho.

5. Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais e como podemos saber o caminho?

6. Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.

7. Se vós me conhecêsseis a mim, também conheceríeis a meu Pai; e já desde agora o conheceis e o tendes visto.

8. Disse-lhe Filipe: Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta.

9. Disse-lhe Jesus: Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Filipe? Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?

10. Não crês tu que eu estou no Pai e que o Pai está em mim? As palavras que eu vos digo, não as digo de mim mesmo, mas o Pai, que está em mim, é quem faz as obras.

11. Crede-me que estou no Pai, e o Pai, em mim; crede-me, ao menos, por causa das mesmas obras.

12. Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai.

13. E tudo quanto pedirdes em meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho.

14. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei.

15. Se me amardes, guardareis os meus mandamentos.

16. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre,

17. o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê, nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco e estará em vós.

18. Não vos deixarei órfãos; voltarei para vós.

19. Ainda um pouco, e o mundo não me verá mais, mas vós me vereis; porque eu vivo, e vós vivereis.

20. Naquele dia, conhecereis que estou em meu Pai, e vós, em mim, e eu, em vós.

21. Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele.

22. Disse-lhe Judas ( não o Iscariotes ): Senhor, de onde vem que te hás de manifestar a nós e não ao mundo?

23. Jesus respondeu e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada.

24. Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.

25. Tenho-vos dito isso, estando convosco.

26. Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.

27. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

28. Ouvistes o que eu vos disse: vou e venho para vós. Se me amásseis, certamente, exultaríeis por ter dito: vou para o Pai, porque o Pai é maior do que eu.

29. Eu vo-lo disse, agora, antes que aconteça, para que, quando acontecer, vós acrediteis.

30. Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo e nada tem em mim.

31. Mas é para que o mundo saiba que eu amo o Pai e que faço como o Pai me mandou. Levantai-vos, vamo-nos daqui.

×

João 14

14.1-3 As palavras do Jesus mostram que o caminho à vida eterna, apesar de ser invisível, é seguro. É tão seguro como o é sua confiança no Jesus. O já preparou o caminho à vida eterna. O único assunto que talvez fique sem resolver é sua vontade de acreditar. 14.2, 3 Há uns poucos versículos nas Escrituras que descrevem a vida eterna, mas estes poucos estão cheios de promessas. Aqui Jesus diz: "Vou, pois, a preparar lugar para vós", e "virei outra vez". Podemos aguardar com expectativa a vida eterna porque Jesus a prometeu a todo aquele que acredita no. Embora os detalhes da eternidade se desconheçam, não é necessário que temamos porque Jesus está fazendo os preparativos e passará a eternidade conosco. 14.5, 6 Estas é uma das passagens mais básicas e importantes das Escrituras. Como conheceremos o caminho para Deus? Unicamente através do Jesus. O é o caminho porque é de uma vez Deus e Homem. Ao unir nossas vidas a do, unimo-nos com Deus. Confie que Jesus o levará a Pai e que todos os benefícios de ser filho de Deus serão deles. 14.6 Por ser o caminho, Jesus é nosso caminho ao Pai. Por ser a verdade, é a realidade de todas as promessas de Deus. Por ser a vida, une sua vida divina à nossa, tão agora como eternamente. 14.9 Jesus é a imagem visível, tangível, do Deus invisível. É a revelação completa do que é Deus. Jesus explicou ao Felipe, que desejava ver o Pai, que conhecê-lo o equivalia a conhecer deus. A busca de Deus, da verdade e da realidade, conduzem a Cristo. (Vejam-se também Col 1:15; Hb 1:1-4.) 14.12, 13 Jesus não diz que seus discípulos fariam milagres mais assombrosos. Que milagre pode ser mais assombroso que a ressurreição? Mas bem significava que os discípulos, obrando mediante o poder do Espírito Santo, levariam o evangelho do Reino de Deus da Palestina até todo mundo. 14.14 Quando Jesus diz que podemos pedir o que for, devemos recordar que nossa petição deve ser em seu nome; quer dizer, de acordo com o caráter e a vontade de Deus. Deus não concederá petições contrárias a sua natureza ou a sua vontade, e não podemos usar seu nome como fórmula mágica para satisfazer nossos desejos egoístas. Se seguirmos a Deus com sinceridade e procuramos fazer sua vontade, nossas petições estarão em linha com o que A deseja e as concederá. (Vejam-se também 15.16; 16.23.) 14.15, 16 Jesus logo ia deixar a seus discípulos, mas seguiria com eles. Como podia ser isto? O Consolador, o Espírito mesmo de Deus, viria depois que Jesus partisse para cuidar e guiar aos discípulos. O poder regenerador do Espírito veio sobre os discípulos antes da ascensão do Jesus (20.22) e se derramou sobre os crentes no Pentecostés (Feitos 2), pouco depois que Jesus subisse ao céu. O Espírito Santo é a presença mesma de Deus em nós e em todos os crentes, que nos ajuda a viver como Deus quer e a edificar a Igreja de Cristo sobre a terra. Por fé podemos nos apropriar do poder do Espírito cada dia. 14.16 A palavra que se traduz Consolador combina as idéias de consolo e conselho. O Espírito Santo é uma pessoa poderosa que está de nossa parte, obrando por nós e conosco. 14.17ss Os seguintes capítulos ensinam estas verdades sobre o Espírito Santo: estará conosco para sempre (14.16); o mundo em geral não pode recebê-lo (14.17); mora conosco e está em nós (14.17); ensina-nos (14.26); recorda-nos as palavras do Jesus (14.26; 15.26); convence-nos de pecado, mostra-nos a justiça de Deus e anuncia que Deus julgará a maldade (16.8); nos guia à verdade e nos comunica as coisas que virão (16.13); glorifica a Cristo (16.14). O Espírito Santo se manteve ativo entre as pessoas desde o começo dos tempos, mas depois do Pentecostés (Feitos 2) deveu viver em todos os crentes. Há muitas pessoas que não se precavem das atividades do Espírito Santo; mas a quem ouve as palavras de Cristo e entendem o poder do Espírito, O lhes dá uma maneira totalmente nova de ver a vida. 14.18 Quando Jesus disse: "virei a vós", dizia-o de verdade. Embora Jesus subiu ao céu, enviou ao Espírito Santo a viver nos crentes, e ter ao Espírito Santo equivale a ter ao Jesus mesmo. 14.19-21 Às vezes a gente queria conhecer o futuro a fim de preparar-se para o que tem que ser. Deus não quis nos dar este conhecimento. Solo Sabe o que acontecerá, mas nos diz tudo o que temos que saber para nos preparar para o futuro. Quando vivemos segundo suas normas, O não nos abandonará; virá a nós, estará em nós e nos manifestará. Deus sabe o que acontecerá e, como O estará conosco em todo momento, não devemos temer. Não é necessário que conheçamos o futuro para ter fé em Deus: devemos ter fé no para estar seguros sobre o futuro. 14.21 Jesus disse que seus seguidores demonstram amor pelo ao obedecê-lo. O amor não é sozinho belas palavras; é compromisso e conduta. Se ama a Cristo, demonstre o obedecendo o que diz em sua Palavra. 14.22, 23 Como os discípulos seguiam esperando que Jesus estabelecesse um reino terrestre e derrocasse a Roma, resultava-lhes difícil entender por que não lhe dizia ao mundo em geral que O era o Messías. Entretanto, não todos podiam entender a mensagem do Jesus. Desde o Pentecostés, o evangelho do Reino se proclamou no mundo inteiro e mesmo assim não todos são receptivos ao mesmo. Jesus guarda as revelações mais profundas de sua pessoa para quem o ama e lhe obedecem. 14.26 Jesus prometeu aos discípulos que o Espírito Santo os ajudaria a recordar o que O lhes ensinou. Esta promessa assegura a validez do Novo Testamento. Os discípulos foram testemunhas da vida e os ensinos do Jesus, e o Espírito Santo os ajudou a recordar sem omitir suas perspectivas individuais. Podemos confiar em que os Evangelhos narram muito bem o que Jesus ensinou e fez (veja-se 1Co 2:10-14). O Espírito Santo pode nos ajudar da mesma maneira. Ao estudar a Bíblia, podemos confiar que O plantará a verdade em nossa mente, convencerá-nos da vontade de Deus e nos recordará isso quando nos separarmos dela. 14.27 O resultado final da obra do Espírito Santo em nossas vidas é uma paz profunda e duradoura. A diferença da paz do mundo, cuja definição está acostumada ser ausência de conflito, esta paz é uma confiada segurança em qualquer circunstância; com a paz de Cristo, não temos por que temer à presente nem ao futuro. Se sua vida está carregada de tensão, permita que o Espírito Santo o encha da paz de Cristo (veja-se Phi 4:6-7 para saber mais respeito a experimentar a paz de Deus). 14.27-29 O pecado, o temor, a insegurança, a dúvida e muitas outras forças estão em guerra em nós. A paz de Deus entra em nossos corações a fim de frear estas forças hostis e oferecer consolo em lugar de conflito. Jesus diz que nos dará essa paz se estivermos dispostos a aceitá-la. 14.28 Em sua condição de Deus o Filho, Jesus se submete voluntariamente a Deus o Pai. Na terra, Jesus também se submeteu a muitas das limitações físicas de sua humanidade (Phi 2:6). 14.30, 31 Apesar de que Satanás, o príncipe deste mundo, não pôde vencer ao Jesus (Mateus 4), muitas vezes teve a arrogância de tentá-lo. O poder de Satanás só existe porque Deus lhe permite atuar. Mas como Jesus está livre de pecado, Satanás não tem autoridade sobre O. Se obedecermos ao Jesus e nos alinhamos bem com os propósitos de Deus, Satanás não pode exercer autoridade sobre nós. 14.31 "Lhes levante, vamos daqui" sugere que os fatos dos capítulos 15-17 talvez aconteceram caminho à horta do Getsemaní. Outro ponto de vista é que Jesus pedia a seus discípulos que se preparassem para deixar o aposento alto, mas em realidade não o fizeram até 18.1.






Anúncios