x

Bibliatodo Comentários

Anúncios


Diário Viver
Gênesis 24

1. E era Abraão já velho e adiantado em idade, e o SENHOR havia abençoado a Abraão em tudo.

2. E disse Abraão ao seu servo, o mais velho da casa, que tinha o governo sobre tudo o que possuía: Põe agora a tua mão debaixo da minha coxa,

3. para que eu te faça jurar pelo SENHOR, Deus dos céus e Deus da terra, que não tomarás para meu filho mulher das filhas dos cananeus, no meio dos quais eu habito,

4. mas que irás à minha terra e à minha parentela e daí tomarás mulher para meu filho Isaque.

5. E disse-lhe o servo: Porventura não quererá seguir-me a mulher a esta terra. Farei, pois, tornar o teu filho à terra de onde saíste?

6. E Abraão lhe disse: Guarda-te, que não faças lá tornar o meu filho.

7. O SENHOR, Deus dos céus, que me tomou da casa de meu pai e da terra da minha parentela, e que me falou, e que me jurou, dizendo: À tua semente darei esta terra, ele enviará o seu Anjo adiante da tua face, para que tomes mulher de lá para meu filho.

8. Se a mulher, porém, não quiser seguir-te, serás livre deste meu juramento; somente não faças lá tornar a meu filho.

9. Então, pôs o servo a sua mão debaixo da coxa de Abraão, seu senhor, e jurou-lhe sobre este negócio.

10. E o servo tomou dez camelos, dos camelos do seu senhor, e partiu, pois que toda a fazenda de seu senhor estava em sua mão; e levantou-se e partiu para a Mesopotâmia, para a cidade de Naor.

11. E fez ajoelhar os camelos fora da cidade, junto a um poço de água, pela tarde, ao tempo em que as moças saíam a tirar água.

12. E disse: Ó SENHOR, Deus de meu senhor Abraão, dá-me, hoje, bom encontro e faze beneficência ao meu senhor Abraão!

13. Eis que eu estou em pé junto à fonte de água, e as filhas dos varões desta cidade saem para tirar água;

14. Seja, pois, que a donzela a quem eu disser: abaixa agora o teu cântaro para que eu beba; e ela disser: Bebe, e também darei de beber aos teus camelos, esta seja a quem designaste ao teu servo Isaque; e que eu conheça nisso que fizeste beneficência a meu senhor.

15. E sucedeu que, antes que ele acabasse de falar, eis que Rebeca, que havia nascido a Betuel, filho de Milca, mulher de Naor, irmão de Abraão, saía com o seu cântaro sobre o seu ombro.

16. E a donzela era mui formosa à vista, virgem, a quem varão não havia conhecido; e desceu à fonte, e encheu o seu cântaro, e subiu.

17. Então, o servo correu-lhe ao encontro e disse: Ora, deixa-me beber um pouco de água do teu cântaro.

18. E ela disse: Bebe, meu senhor. E apressou-se, e abaixou o seu cântaro sobre a sua mão, e deu-lhe de beber.

19. E, acabando ela de lhe dar de beber, disse: Tirarei também água para os teus camelos, até que acabem de beber.

20. E apressou-se, e vazou o seu cântaro na pia, e correu outra vez ao poço para tirar água, e tirou para todos os seus camelos.

21. E o varão estava admirado de vê-la, calando-se, para saber se o SENHOR havia prosperado a sua jornada ou não.

22. E aconteceu que, acabando os camelos de beber, tomou o varão um pendente de ouro de meio siclo de peso e duas pulseiras para as suas mãos, do peso de dez siclos de ouro,

23. e disse: De quem és filha? Faze-mo saber, peço-te; há também em casa de teu pai lugar para nós pousarmos?

24. E ela disse: Eu sou filha de Betuel, filho de Milca, o qual ela deu a Naor.

25. Disse-lhe mais: Também temos palha, e muito pasto, e lugar para passar a noite.

26. Então, inclinou-se aquele varão, e adorou ao SENHOR,

27. e disse: Bendito seja o SENHOR, Deus de meu senhor Abraão, que não retirou a sua beneficência e a sua verdade de meu senhor; quanto a mim, o SENHOR me guiou no caminho à casa dos irmãos de meu senhor.

28. E a donzela correu e fez saber estas coisas na casa de sua mãe.

29. E Rebeca tinha um irmão cujo nome era Labão; e Labão correu ao encontro daquele varão à fonte.

30. E aconteceu que, quando ele viu o pendente e as pulseiras sobre as mãos de sua irmã e quando ouviu as palavras de sua irmã Rebeca, que dizia: Assim me falou aquele varão, veio ao varão, e eis que estava em pé junto aos camelos, junto à fonte.

31. E disse: Entra, bendito do SENHOR, por que estarás fora? Pois eu já preparei a casa e o lugar para os camelos.

32. Então, veio aquele varão à casa, e desataram os camelos e deram palha e pasto aos camelos e água para lavar os pés dele e os pés dos varões que estavam com ele.

33. Depois, puseram de comer diante dele. Ele, porém, disse: Não comerei, até que tenha dito as minhas palavras. E ele disse: Fala.

34. Então, disse: Eu sou o servo de Abraão.

35. O SENHOR abençoou muito o meu senhor, de maneira que foi engrandecido; e deu-lhe ovelhas e vacas, e prata e ouro, e servos e servas, e camelos e jumentos.

36. E Sara, a mulher do meu senhor, gerou um filho a meu senhor depois da sua velhice; e ele deu-lhe tudo quanto tem.

37. E meu senhor me fez jurar, dizendo: Não tomarás mulher para meu filho das filhas dos cananeus, em cuja terra habito;

38. irás, porém, à casa de meu pai e à minha família e tomarás mulher para meu filho.

39. Então, disse eu ao meu senhor: Porventura não me seguirá a mulher.

40. E ele me disse: O SENHOR, em cuja presença tenho andado, enviará o seu Anjo contigo e prosperará o teu caminho, para que tomes mulher para meu filho da minha família e da casa de meu pai.

41. Então, serás livre do meu juramento, quando fores à minha família; e, se não ta derem, livre serás do meu juramento.

42. E hoje cheguei à fonte e disse: Ó SENHOR, Deus de meu senhor Abraão, se tu, agora, prosperas o meu caminho, no qual eu ando,

43. eis que estou junto à fonte de água; seja, pois, que a donzela que sair para tirar água e à qual eu disser: Ora, dá-me um pouco de água do teu cântaro,

44. e ela me disser: Bebe tu também e também tirarei água para os teus camelos, esta seja a mulher que o SENHOR designou ao filho de meu senhor.

45. E, antes que eu acabasse de falar no meu coração, eis que Rebeca saía com seu cântaro sobre o seu ombro, e desceu à fonte, e tirou água; e eu lhe disse: Ora, dá-me de beber.

46. E ela se apressou, e abaixou o seu cântaro de sobre si, e disse: Bebe, e também darei de beber aos teus camelos; e bebi, e ela deu também de beber aos camelos.

47. Então, lhe perguntei e disse: De quem és filha? E ela disse: Filha de Betuel, filho de Naor, que lhe gerou Milca. Então, eu pus o pendente no seu rosto e as pulseiras sobre as suas mãos.

48. E, inclinando-me, adorei ao SENHOR e bendisse ao SENHOR, Deus do meu senhor Abraão, que me havia encaminhado pelo caminho da verdade, para tomar a filha do irmão de meu senhor para seu filho.

49. Agora, pois, se vós haveis de mostrar beneficência e verdade a meu senhor, fazei-mo saber; e, se não, também mo fazei saber, para que eu olhe à mão direita ou à esquerda.

50. Então, responderam Labão e Betuel e disseram: Do SENHOR procedeu este negócio; não podemos falar-te mal ou bem.

51. Eis que Rebeca está diante da tua face; toma-a e vai-te; seja a mulher do filho de teu senhor, como tem dito o SENHOR.

52. E aconteceu que o servo de Abraão, ouvindo as suas palavras, inclinou-se à terra diante do SENHOR;

53. e tirou o servo vasos de prata, e vasos de ouro, e vestes e deu-os a Rebeca; também deu coisas preciosas a seu irmão e a sua mãe.

54. Então, comeram, e beberam, ele e os varões que com ele estavam, e passaram a noite. E levantaram-se pela manhã, e disse: Deixai-me ir a meu senhor.

55. Então, disseram seu irmão e sua mãe: Fique a donzela conosco alguns dias ou pelo menos dez dias; e depois irá.

56. Ele, porém, lhes disse: Não me detenhais, pois o SENHOR tem prosperado o meu caminho; deixai-me partir, para que eu volte a meu senhor.

57. E disseram: Chamemos a donzela e perguntemos-lho.

58. E chamaram Rebeca e disseram-lhe: Irás tu com este varão? Ela respondeu: Irei.

59. Então, despediram Rebeca, sua irmã, e a sua ama, e o servo de Abraão, e os seus varões.

60. E abençoaram Rebeca e disseram-lhe: Ó nossa irmã, sejas tu em milhares de milhares, e que a tua semente possua a porta de seus aborrecedores!

61. E Rebeca se levantou com as suas moças, e subiram sobre os camelos e seguiram o varão; e tomou aquele servo a Rebeca e partiu.

62. Ora, Isaque vinha do caminho do poço de Laai-Roi, porque habitava na terra do Sul.

63. E Isaque saíra a orar no campo, sobre a tarde; e levantou os olhos, e olhou e eis que os camelos vinham.

64. Rebeca também levantou os olhos, e viu a Isaque, e lançou-se do camelo,

65. e disse ao servo: Quem é aquele varão que vem pelo campo ao nosso encontro? E o servo disse: Este é meu senhor. Então, tomou ela o véu e cobriu-se.

66. E o servo contou a Isaque todas as coisas que fizera.

67. E Isaque trouxe-a para a tenda de sua mãe, Sara, e tomou a Rebeca, e foi-lhe por mulher, e amou-a. Assim, Isaque foi consolado depois da morte de sua mãe.

×
Gênesis 24

24.2, 9 Na cultura do Abraão, pôr uma mão debaixo da coxa era a forma em que se selava ou ratificava um pacto. Para fazer o mesmo nos estreitamos a mão, juramos ou assinamos documentos ante um notário público. 24.4 Abraão queria que Isaque se casasse com alguém da família. Isto era aceitável nesses tempos para evitar que se casassem com vizinhos pagãos. Pelo general, os pais escolhiam a esposa do filho. Era uma prática comum que uma mulher se casasse nos começos de sua adolescência, embora Blusa de lã era provavelmente maior. 24.11 O poço, a fonte principal de água do povo, estava pelo general aos subúrbios da cidade no caminho principal. Muitas pessoas tinham que caminhar um ou dois quilômetros pela água. Só podiam usar o que podiam levar a casa. Os granjeiros e pastores foram dos campos próximos a tirar água para seus animais. Era o melhor lugar para cercar amizades e praticar com os velhos amigos. Blusa de lã deve ter ido ao poço duas vezes ao dia a extrair água para sua família. BLUSA DE LÃ Algumas pessoas são empreendedoras. Ajudam a pôr-se a andar as coisas. Blusa de lã se distinguiria muito facilmente neste grupo. Sua vida se caracterizava pela iniciativa. Quando via uma necessidade punha mãos à obra, mesmo que a ação não fora sempre a correta. Foi a iniciativa de Blusa de lã o que primeiro chamou a atenção do Eliezer, o servo que Abraão enviou para procurar esposa para o Isaque. Era uma cortesia comum dar de beber a um estranho, mas se requeria de caráter para ir procurar água para dez camelos sedentos. Mais tarde depois de escutar os detalhes da missão do Eliezer, Blusa de lã esteve disposta imediatamente a ser a esposa do Isaque. Alguns sucessos posteriores nos ajudam a ver como uma iniciativa pode ir mal encaminhada. Blusa de lã estava consciente de que o plano de Deus seria canalizado através do Jacó, não do Esaú (Gen 25:23). Assim não só converteu ao Jacó em seu favorito, mas também até planejou a forma de assegurar que este fora mais importante que seu irmão gêmeo major. Isaque preferia ao Esaú. Isto criou um conflito no casal. Blusa de lã se sentiu com direito a enganar a seu marido quando chegou o momento de benzer a seus filhos, e seu engenhoso plano se executou à perfeição. Quase sempre tratamos de justificar nossas ações. Freqüentemente tratamos de acrescentar a aprovação de Deus a nossas ações. Embora é certo que nossas ações não obstaculizam o plano de Deus, também é certo que somos responsáveis por nossas ações e sempre devemos tomar cuidado com nossos motivos. Quando medita em um plano de ação, está você simplesmente procurando o selo da aprovação de Deus em algo que já decidiu fazer, ou está disposto a declinar esse plano se os princípios e mandamentos da Palavra de Deus se contrapõem a essa ação? A iniciativa e a ação são admiráveis e corretas quando são controladas pela sabedoria de Deus. Pontos fortes e lucros : -- Quando via uma necessidade, atuava imediatamente -- Sempre estava orientada à perfeição Debilidades e enganos : -- Sua iniciativa não sempre se encontrava balançada com sua sabedoria -- Favoreceu a um de seus filhos -- Enganou a seu marido Lições de sua vida : -- Nossas ações devem ser guiadas pela Palavra de Deus -- Deus utiliza em seus planos até nossos enganos -- O favoritismo dos pais machuca à família Dados gerais : -- Onde: Farão, Canaán -- Ocupação: Esposa, mãe, dona-de-casa -- Familiares: Avós: Nacor e Milca. Pai: Betuel. Marido: Isaque. Irmão: Labán. Filhos gêmeos: Esaú e Jacó Versículos chave : "E a trouxe Isaque à loja de sua mãe Sara, e tomou a Blusa de lã por mulher, e a amou; e se consolou Isaque depois da morte de sua mãe" (Gen 24:67). "E amou Isaque ao Esaú, porque comia de sua caça; mas Blusa de lã amava ao Jacó" (Gen 25:28) A história de Blusa de lã se relata em Gênese 24-29. Também se menciona em Rom 9:10. 24.14 Era correto que o servo do Abraão pedisse a Deus uma prova tão precisa? O "sinal" que pediu não era fora do comum. A hospitalidade que se acostumava nessa época ditava que as mulheres que estivessem no poço deviam oferecer água aos cansados viajantes, mas não aos animais. Eliezer simplesmente lhe estava pedindo a Deus que mostrasse a uma mulher que tivesse uma verdadeira atitude de serviço, alguém que fora além do que se esperava. O oferecimento de dar de beber a seus camelos indicaria esta classe de atitude. Eliezer não pediu uma mulher de grande beleza ou riqueza. Sabia da importância de ter um coração justo. E sabia a importância de pedir ajuda a Deus para realizar sua tarefa. 24.15, 16 Blusa de lã era bela fisicamente, mas o servo estava procurando um sinal que lhe revelasse a beleza interior. A aparência é importante para nós, e gastamos tempo e dinheiro tratando de melhorá-la. Mas quanto esforço fazemos para desenvolver a beleza interior? A paciência, a bondade e o gozo constituem tratamentos de beleza que produzem a verdadeira formosura: a interior. 24.18-21 O espírito de serviço de Blusa de lã se demonstrou de maneira clara quando rapidamente e de boa vontade deu de beber ao Eliezer e a seus camelos. Os baldes utilizados para tirar água eram grandes e pesadas. Um camelo necessita muita água para satisfazer sua sede (quase 100 litros por camelo depois de uma semana de viagem). Eliezer compreendeu que aquela era uma mulher que ia mais à frente do dever. Possui você um espírito de servo? Quando lhe pedirem ajuda ou quando vir uma necessidade, faça mais do imprescindível. 24.26, 27 logo que o servo do Abraão soube que sua oração foi respondida, agradeceu a Deus sua bondade e guia. Também Deus nos pode usar e guiar a nós, se é que estamos ao seu dispor como Eliezer. E nossa primeira reação deverá ser ação de obrigado por nos haver escolhido para seu serviço. 24.42, 48 Quando Eliezer contou sua história ao Labán, falou-lhe abertamente de Deus e sua bondade. Muitas vezes nós fazemos o contrário, temerosos de ser mau interpretados ou rechaçados por ser muito religiosos. Entretanto, deveríamos anunciar abertamente o que Deus está fazendo por nós. 24.60 "Possuam seus descendentes a porta de seus inimigos" significa "você Possa triunfar sobre seus inimigos". 24.64, 65 Quando Blusa de lã soube que o homem que tinha ido receber a era Isaque, seu futuro algemo, seguiu dois costumes orientais. Desceu de seu camelo em sinal de respeito e se cobriu o rosto com um véu, como uma noiva.





Anúncios