x

Bibliatodo Comentários

Anúncios


Notas RV 1995 - Comentário da Versão Reina Valera
Naum 1

1. Peso de Nínive. Livro da visão de Naum, o elcosita.

2. O SENHOR é Deus zeloso e vingador; o SENHOR é vingador e cheio de furor; o SENHOR toma vingança contra os seus adversários, e guarda a ira contra os seus inimigos.

3. O SENHOR é tardio em irar-se, mas grande em poder, e ao culpado não tem por inocente; o SENHOR tem o seu caminho na tormenta e na tempestade, e as nuvens são o pó dos seus pés.

4. Ele repreende ao mar, e o faz secar, e esgota todos os rios; desfalecem Basã e o Carmelo, e a flor do Líbano murcha.

5. Os montes tremem perante ele, e os outeiros se derretem; e a terra se levanta na sua presença; e o mundo, e todos os que nele habitam.

6. Quem parará diante do seu furor, e quem persistirá diante do ardor da sua ira? A sua cólera se derramou como um fogo, e as rochas foram por ele derrubadas.

7. O SENHOR é bom, ele serve de fortaleza no dia da angústia, e conhece os que confiam nele.

8. E com uma inundação transbordante acabará de uma vez com o seu lugar; e as trevas perseguirão os seus inimigos.

9. Que pensais vós contra o SENHOR? Ele mesmo vos consumirá de todo; não se levantará por duas vezes a angústia.

10. Porque ainda que eles se entrelacem como os espinhos, e se saturem de vinho como bêbados, serão inteiramente consumidos como palha seca.

11. De ti saiu um que maquinou o mal contra o SENHOR, um conselheiro vil.

12. Assim diz o SENHOR: Por mais seguros que estejam, e por mais numerosos que sejam, ainda assim serão exterminados, e ele passará; eu te afligi, mas não te afligirei mais.

13. Mas agora quebrarei o seu jugo de sobre ti, e romperei os teus laços.

14. Contra ti, porém, o SENHOR deu ordem que não haja mais linhagem do teu nome; da casa dos teus deuses exterminarei as imagens de escultura e de fundição; ali farei o teu sepulcro, porque és vil.

15. Eis sobre os montes os pés do que traz as boas novas, do que anuncia a paz! Celebra as tuas festas, ó Judá, cumpre os teus votos, porque o ímpio não tornará mais a passar por ti; ele é inteiramente exterminado.

×
Naum 1

Notas do Capítulo: [1] 1.1 Nínive: capital do império assírio, célebre por suas riquezas e seu poderio militar (veja-se Jn 1.2 nota b ). Cf. Is 10.5-34; 14.24-27; Sof 2.13-15; veja-se também o Índice de mapas. [2] 1.1 Visão: término que se refere, em geral, a qualquer das formas de que Deus se vale para comunicar sua mensagem aos profetas. Cf. Is 1.1; Ob 1.1. [3] 1.1 Elcos: população que ainda não pôde ser localizada com exatidão, situada provavelmente em território do Judá. [4] 1.2 O livro começa com um hino ou canto de louvor ao Deus do Israel, que não pode deixar impunes os pecados e injustiças que se cometem no mundo (cf. V. 2-9). Não se trata de um capricho divino, mas sim de uma exigência da justiça e santidade de Deus. Nos V. 2-8 se emprega o artifício alfabético, mas utilizando sozinho a metade do alfabeto hebreu. A respeito dos hinos e dos poemas alfabéticos, veja-a Introdução aos Salmos. [5] 1.2 Jeová é um Deus ciumento porque exige reconhecimento exclusivo (veja-se Ex 20.5 N.); e recebe o qualificativo de vingador porque ele reivindica a justiça, derrotando aos que não a praticam. Cf. Ex 20.5-6; Dt 4.24; Rm 12.19; Hb 10.30. [6] 1.3 Cf. Ex 34.6-7; Nm 14.18; Sl 86.15; Jl 2.13. [7] 1.3 As nuvens: Cf. Ex 34.5; Sl 68.4. [8] 1.4 Ameaça ao mar e o seca: alusão à saída do Egito e ao passado do Mar Vermelho. Cf. Ex 14.16-25; 15.1-19; Sl 106.9. [9] 1.4 O Apóiam e o Carmelo, assim como o Líbano eram famosos pela abundância de sua vegetação. Vejam-se Dt 3.1 N.; 2 Rss 18.19 N.; Jr 22.6 nota f e Índice de mapas. [10] 1.5 Cf. Sl 97.5; Miq 1.4. [11] 1.8 Seus adversários: segundo versões antigas. [12] 1.10 Como espinheiros entretecidos: Alguns textos omitem empapados em sua embriaguez. [13] 1.11 Um conselheiro perverso: outra tradução: um conselheiro do Belial (veja-se Dt 13.13 N.). Provavelmente se alude ao Senaquerib, rei de Assíria, que no ano 701 a.C. sitiou a cidade de Jerusalém e desafiou com arrogância ao Deus do Israel (2 Rs 18.28-35; 19.4,16; cf. Is 10.5-34). [14] 1.12 Embora... ele passará: tradução provável. Hb. escuro. [15] 1.13 O jugo e as cadeias simbolizam a opressão e o cativeiro. Cf. Is 58.6; Jr 30.8. [16] 1.14 O fato de que não fique memória de seu nome indica que a destruição do Nínive vai ser definitiva e total. Cf. Jó 18.19; Sl 37.28; Is 14.20. [17] 1.15 Que anuncia a paz: Is 52.7. Cf. Rm 10.15. [18] 1.15 Sem dúvida se refere aos votos ou promessas que tinham feito os habitantes do Judá em tempos da dominação assíria, a fim de obter o amparo divino contra o exército invasor. Cf. 2 Rs 19.14-20.





Anúncios