- Anúncios -
x

Bíblia On-line




Mateus 18 - Versão Católica com cabeçalhos

O maior no Reino dos céus

1. O maior no reino dos céus Naquele momento, os discípulos se aproximaram de Jesus e perguntaram: ""Quem é o maior no Reino do Céu?""

2. Jesus chamou uma criança, colocou-a no meio deles,

3. e disse: ""Eu lhes garanto: se vocês não se converterem, e não se tornarem como crianças, vocês nunca entrarão no Reino do Céu.

4. Quem se abaixa, e se torna como essa criança, esse é o maior no Reino do Céu.

5. E quem recebe em meu nome uma criança como esta, é a mim que recebe.""

6. Quem escandalizar um desses pequeninos que acreditam em mim, melhor seria para ele pendurar uma pedra de moinho no pescoço, e ser jogado no fundo do mar.

7. Ai do mundo por causa dos escândalos! É inevitável que aconteçam escândalos, mas ai do homem que causa escândalo!

8. Se a sua mão ou o seu pé é ocasião de escândalo para você, corte-o e jogue-o para longe de você. É melhor para você entrar para a vida sem uma das mãos, ou sem um dos pés, do que ter as duas mãos ou os dois pés, e ser lançado no fogo eterno.

9. E se o seu olho é ocasião de escândalo para você, arranque-o e jogue-o para longe de você. É melhor para você entrar para a vida com um olho só, do que ter os dois olhos, e ser jogado no inferno de fogo.""

10. A ilustração da ovelha perdida Cuidado para não desprezar nenhum desses pequeninos, pois eu digo a vocês: os anjos deles no céu estão sempre na presença do meu Pai que está no céu.

11. O Filho do Homem veio para salvar o que estava perdido.

12. O que vocês acham? Se um homem tem cem ovelhas, e uma delas se perde, será que ele não vai deixar as noventa e nove nas montanhas, para procurar aquela que se perdeu?

13. Eu garanto a vocês: quando ele a encontra, fica muito mais feliz com ela, do que com as noventa e nove que não se perderam.

14. Do mesmo modo, o Pai que está no céu não quer que nenhum desses pequeninos se perca.""

O perdão do pecado de um irmão

15. O irmão que peca contra outro Se o seu irmão pecar, vá e mostre o erro dele, mas em particular, só entre vocês dois. Se ele der ouvidos, você terá ganho o seu irmão.

16. Se ele não lhe der ouvidos, tome com você mais uma ou duas pessoas, para que toda a questão seja decidida sob a palavra de duas ou três testemunhas.

17. Caso ele não dê ouvidos, comunique à Igreja. Se nem mesmo à Igreja ele der ouvidos, seja tratado como se fosse um pagão ou um cobrador de impostos.

18. Eu lhes garanto: tudo o que vocês ligarem na terra, será ligado no céu, e tudo o que vocês desligarem na terra, será desligado no céu.

19. E lhes digo ainda mais: se dois de vocês na terra estiverem de acordo sobre qualquer coisa que queiram pedir, isso lhes será concedido por meu Pai que está no céu.

20. Pois onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, eu estou aí no meio deles.""

21. A ilustração do servo sem misericórdia Pedro aproximou-se de Jesus, e perguntou: ""Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?""

22. Jesus respondeu: ""Não lhe digo que até sete vezes, mas até setenta vezes sete.

A parábola do credor incompassivo

23. Porque o Reino do Céu é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados.

24. Quando começou o acerto, levaram a ele um que devia dez mil talentos.

25. Como o empregado não tinha com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida.

26. O empregado, porém, caiu aos pés do patrão e, ajoelhado, suplicava: Dá-me um prazo. E eu te pagarei tudo.

27. Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado, e lhe perdoou a dívida.

28. Ao sair daí, esse empregado encontrou um de seus companheiros que lhe devia cem moedas de prata. Ele o agarrou, e começou a sufocá-lo, dizendo: Pague logo o que me deve.

29. O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: Dê-me um prazo, e eu pagarei a você.

30. Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia.

31. Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão, e lhe contaram tudo.

32. O patrão mandou chamar o empregado, e lhe disse: Empregado miserável! Eu lhe perdoei toda a sua dívida, porque você me suplicou.

33. E você, não devia também ter compaixão do seu companheiro, como eu tive de você?

34. O patrão indignou-se, e mandou entregar esse empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida.

35. É assim que fará com vocês o meu Pai que está no céu, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão.""