O que nunca mudará

Todos, quase sem exceção, têm uma ou mais pessoas em nossas vidas a quem chamamos de “mentores”. São aquelas pessoas que nos influenciaram positivamente. Recordamos as suas palavras e ações que nos marcaram, nos mostrando um caminho mais excelente, modelando um estilo de vida digna de ser imitada. Eles não eram homens e mulheres que estavam acima de tudo, mas dedicado ao seu ministério mantiveram uma linha reta e honesta em tudo o que fizeram.

Uma característica quase geral de um mentor é o reconhecimento da transitoriedade da vida. Como James escreveu: “Qual é a sua vida? É um vapor que aparece por um instante e depois desaparece”. (Tiago 4:14). Nosso tempo nesta vida é predeterminado antes do nascimento, e é tão curta que cada minuto pode fazer a diferença na vida de muitas pessoas. Isto lembra-nos a importância de viver uma vida digna da nossa fé para que eles possam ser um fator para uma mudança positiva na vida das pessoas ao nosso redor.

Em outras palavras, viver de modo que os outros possam ver em nós um “tutor”. Temos o privilégio de transmitir eternos valores a gerações futuras: o respeito à autoridade humana, pensamentos saudáveis, palavras puras um estilo de vida santo, compromisso com Cristo o amor da família e serviço incondicional. As qualidades de caráter maduro não estão à mercê do tempo.

A Vida certamente é como neblina. Embora a aparência seja de segurança, a nossa vida é marcada pela incerteza, adversidade, brevidade. Com mais razão devemos tentar alcançar a perspectiva correta de viver. Andar com Deus faz exatamente isso. Não garante que vamos viver mais tempo, mas ele nos ajuda a viver melhor, mais profundo e mais amplo. Já que não sabemos nada do dia, semana ou ano que virá, entregue-se àquele que conhece os tempos e as estações.

Deixe seus comentários