Níveis de Espiritualidade

Assim, alguém descreveu uma realidade e eu me perguntava se era certo para descrevê-lo também. Eu particularmente não gosto do termo “níveis”, que soa como graus de importância ou valor, eu gosto “grau de maturidade e crescimento espiritual” E se é verdade que, arrependendo-se e tornar-se “nascer de novo”, nascido de uma vida espiritual, nascemos de Deus, e quando nascemos biologicamente, tivemos que crescer, alimentarmos, aprender e desenvolver, também na vida espiritual nos “alimentamos”, “aprendemos” e crescemos, e assim nós caminhamos as diferentes fases (paralelo), a infância, a adolescência e, em seguida, a idade adulta.

Toda a Escritura fala de crescimento cristão, somos exortados a crescer; Logicamente, se um bebê nasceu e está bem conservado e não possui qualquer doença genética, deve crescer, Deus espera-nos a crescer. (Se nós nascemos saudáveis).

“Como crianças recém-nascidas, anseiam o puro leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação” (1 Pedro 2: 2) “Mas, falando a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, isto é, Cristo “(Efésios 4:15)” E o Senhor vos faça crescer … “(1 Tessalonicenses 3:12).

Há um paralelo entre a carne e a vida espiritual, não é apenas uma diferença notável, os estágios de desenvolvimento na carne ou no corpo são quase marcados pelo tempo, presume-se que uma criança em torno de um ano comece a caminhar, (desde seja saudável), é esperado em uma certa idade que você começa a falar, então virá a idade de escola e aprendizagem, a puberdade ou adolescência, e depois esperar para amadurecer, assumindo certas responsabilidades, não é aceitável, nem normal, que um homem de 30 anos se comporte como um adolescente. O crescimento físico tem a ver com o tempo, o espiritual não necessariamente, não é maduro, pela antiguidade na Igreja, pode ter 20 anos de fé e ainda ser uma “criança” espiritual pode ter um par de anos como cristão e ser maduro.

Alguns têm a ideia de que eles são “maduros” pelo tempo que eles são crentes, algo como as forças armadas, a cada quatro ou cinco anos vem uma ascensão, não funciona bem assim espiritualmente. Isso aconteceu com os cristãos a quem está dirigida a Carta aos Hebreus:

“Sobre isso temos muito a dizer e difícil de explicar, uma vez que você se tornou surdo de audição. Porque devendo ser mestres (maduros), depois de tanto tempo, você tem necessidade de que alguém ensine novamente quais são os primeiros princípios da Palavra de Deus; e você se tornou um que precisa de leite, e não de alimento sólido. E todo aquele que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, porque ele é um bebe “(Hebreus 5: 11-14)

A “Criança” não se pode dar alimentos sólidos, pode ficar doente, é alimentado com leite ou comida para bebé, precisa ser “divertidos”, chupetas, fraldas e chocalhos, a “criança”, chora, devem ser cuidadosamente atendidos, higienizado, dá caprichos, requer atenção constante. Quando ela entra na fase da adolescência, (ele ainda tem) a mesma palavra expressa, sofre, ele ainda tem que ser um adulto, não uma criança, você não pode ser acusado de muitas responsabilidades, devemos recomendar programações, comportamentos, você tem que colocar certos limites, deve estar atrás. Quando ele crescer e se tornar um adulto, terminou a tarefa dos pais, um filho adulto sabe o que fazer, o quanto ele pode dar conselhos, mas assume suas responsabilidades. Quando vemos “entretidos” crentes nas igrejas, com música, aplausos,

coreografias, bênçãos, vemos grandes centros de cuidados infantis, alimentado apenas com “leite” não vai crescer se eles não recebem alimentos sólidos, nem eles vão crescer pelo tempo. No espiritual diferente do físico tudo depende do desejo de crescer e o tipo de comida que nos dão. João também se referiu a esses graus de maturidade em sua primeira carta: “Eu vos escrevi, filhinhos … vos escrevo pais … Eu escrevo para vocês, jovens …” (1 João 2: 12-14) Às vezes, quando ensinamos ou doutrinamos na Igreja, alguns ficam com raiva ou chateado, costumam dizer: doutrina, ordem, as regras não são para os “adultos” são para “crianças” e “adolescentes”. Você apenas tem que tentar crescer e se transformar em um “adulto”, bem como uma criança que balbucia chora, é engraçado e simpático, um adulto que faz isso é uma tragédia.

Sergio Gebel

Deixe seus comentários