Muito tamanho, pouco fruto

Significa que, por vezes, “o ruído” é maior do que o resultado, outro ditado semelhante diz: “O cão que late não morde” (o mais perigoso, é o cão em silêncio vindo de trás e te afinca os dentes).

Em um dos meus livros dediquei um capítulo inteiro a este assunto, intitulado: “Títulos e credenciais” em um parágrafo escrevi o seguinte: Nos últimos tempos vimos aparecer no firmamento evangélico muitas “estrelas” como apóstolos, patriarcas, reverendos, médicos e advogados, os bispos e os profetas que acabam ofuscando aquele que simplesmente se apresentou como “o filho do homem” ou “filho de Deus”, ou o mesmo João Batista que se apresentou como “um homem enviado por Deus” ou “uma voz que clama no deserto.”

Uma vez eu tive um desses em minha congregação, desdobrou diante de mim uma dúzia de credenciais, havia de todas as cores, um missionário, professor, evangelista, pastor internacional e outros títulos mais, eu não me lembro, inocentemente perguntei: Onde é a sua igreja? Ele respondeu: Não, eu não tenho igreja!

Tais contradições, sempre aparecem quando há “muito barulho” seja na auto-promoção, ou nos dons … “Eu tenho o dom de profeta” … “Deus me usa para fazer milagres” … “Deus me dá visões” … “Deus me levantou como um apóstolo “..” Deus me enviou às nações “…” Eu tenho … Eu tenho … Eu tenho “…” Eu sou … Eu sou … Eu sou “

O ego e o orgulho também nos afetaram.

Esquecemos um ensinamento fundamental de Jesus Cristo:

“Se eu der testemunho de mim mesmo, o meu testemunho não é verdadeiro, há um outro que dá testemunho de mim …” (João 5: 31,32)

Conta-se a história de início do século XX; Dois homens caminhando juntos, um era um estranho lá, o outro um residente local e rastreador muito experiente, que trabalhava de guia nestas partes, era uma mistura de índio e caçador, em um determinado ponto, inclinou-se para o chão e encostou o ouvido na estrada, depois de um tempo se levantou e disse a seu companheiro de viagem “que estava vindo uma carreta vazia” … claro que não havia nada à vista, passaram-se alguns minutos e em uma curva na estrada, aparece uma carroça puxada por cavalos, passou em alta velocidade e, certamente, não transportava quaisquer cargas, ia vazia; Como ele sabia? Perguntou o estranho ao rastreador: ele simplesmente respondeu: “quando vem vazia faz muito ruido”.

Às vezes, muitos são como o vagão, um monte de propaganda, um monte de auto-promoção, “muito barulho” os homens de Deus não estão interessados em “títulos”, os “nomes” são apenas servos, e os servos procuram exaltar a Cristo, que o nome de Cristo seja conhecido e honrado, ou trabalhamos para nós ou trabalhamos para o Senhor?

Não é importante a maneira como nos promovemos, como nos conhecem ou se lembram de nosso nome, ou quantas habilidades ou dons possuímos, mas como Deus pode nos usar para apresentar Cristo.

Menos ruído, por favor!, E mais nozes …

“… todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar …” (Tiago 1:19), e parafrasear, gostaria de acrescentar ao texto sagrado: “… tardio para falar (de si mesmo)”

Sergio Gebel

Deixe seus comentários