Vaticano aprova homens casados para serem padres

Dado o que falar o Vaticano logo permitirá que homens casados ​​se tornem padres para oficiar na Amazônia na América do Sul, tudo para “aliviar” a falta de clérigos na área.

Vaticano aprova homens casados para serem padres

Em um documento publicado pela Santa Sé, membros da Igreja Católica no Vaticano debaterão sobre esta questão, porque a Amazônia tem falhas em termos de religião e crença católica, então este grupo decidiu se reunir em um dia especial de debates em outubro para estudar e aprovar a medida.

“Ao afirmar que o celibato é um dom para a Igreja, solicita-se que, para as áreas mais remotas da região, a possibilidade de ordenação sacerdotal de anciãos, de preferência indígenas, respeitados e aceites pela sua comunidade, mesmo aqueles que já têm famílias estáveis e consolidadas, deve ser estudada para garantir os sacramentos que acompanham e sustentam a vida cristã”, diz o documento.

Esta não é a primeira vez que a Igreja Católica e seu líder ter feito insinuações sobre este assunto porque o Papa Francis uma vez disse que ele estaria disposto a permitir que homens casados ​ se tornem padres em diferentes regiões.

O tema de um homem casado pode ter este trabalho para uma pessoa que trabalha neste caso comércio provocou grande controvérsia dentro e fora dos portões do Vaticano e ao redor do mundo, como eles afirmam a sua posição sobre o celibato para obter um título dentro da igreja.

Algumas religiões, como o anglicanismo, permitem que os homens se casem como sacerdote, sacerdote e outros; O sínodo, esta reunião do conselho entre os membros da igreja, também analisará o papel que as mulheres desempenham na congregação.

Deixe seus comentários