Trump proclama “Dia Nacional da Santidade Humana”, no aniversário da legalização do aborto

O presidente dos EUA, Donald Trump, proclamou o dia 22 de janeiro como “Dia Nacional da Santidade da Vida Humana”.

A proclamação foi publicada oficialmente na terça-feira, 21 de janeiro, no site da Casa Branca.

O anúncio observa que, de acordo com a análise mais recente que rastreia dados e tendências relevantes, o número de abortos continua a diminuir à medida que os últimos anos se passaram; é também o caso com gravidez na adolescência.

A publicação fornece movimentos políticos documentados que a administração tem feito desde que o presidente assumiu o cargo. Ele ressalta que os Estados Unidos estão liderando espaços internacionais, como a construção de uma coalizão de nações para dissipar a idéia de que o aborto é um direito humano fundamental.

Também elogia o trabalho dos prestadores de serviços sociais que fazem parte do movimento pró-vida.

A declaração do presidente Trump explica que pelo menos 24 nações que representam mais de um bilhão de pessoas aderiram a esta causa.

Ele também explica que eles se opõem a qualquer projeto que tenta impor um direito global financiado pelos contribuintes ao aborto mediante pedido. “E nunca nos cansaremos de defender a vida inocente, em casa ou no exterior”, diz o comunicado.

“Como nação, devemos permanecer firmemente dedicados à profunda verdade de que toda a vida é um dom de Deus, que dá a cada pessoa valor e potencial imensuráveis. Inúmeros americanos são defensores incansáveis da vida e defensores dos vulneráveis entre nós”, diz a publicação.

O anúncio também oferece apreço àqueles que apoiam as mulheres que sofreram abortos e prestam cuidados; assim também para aqueles que recebem as crianças em suas casas e oferecer-lhes lares adotivos e adoção.

O presidente mais pró-vida

Trump tem sido chamado de o presidente mais pró-vida na história dos EUA; e por causa disso, aqueles que são pró-vida estão fazendo campanha na esperança de que ele será reeleito.

Um ponto importante a notar sobre esta questão é o fato de que o anúncio de Trump coincide com o 47 º aniversário de Roe vs. Wade; onde a Suprema Corte legalizou o aborto em todo o país dos EUA.

“Peço a todos os cidadãos desta grande nação que ouçam o som do silêncio causado por uma geração perdida para nós e, em seguida, levantem a voz de todos os afetados pelo aborto, visíveis e invisíveis”, diz a proclamação.

A Marcha pela Vida, realizada anualmente durante a Semana de Aniversário de Roe versus Wade, na qual milhares de pessoas se reúnem, está marcada para sexta-feira, 24 de janeiro.

Deixe seus comentários