Revelam novos vídeos com imagens de outro ângulo da morte de George Floyd

Um novo vídeo gravado por uma pessoa de Minneapolis e divulgado pela mídia CNN imagens sobre o assassinato de George Floyd, mostra um outro ângulo do fato; onde se pode observar outros dois policiais pressionando seus joelhos sobre o corpo de Floyd.

A morte do afro-americano George Floyd na segunda-feira passado desencadeou uma tempestade de enormes dimensões nos Estados Unidos, que já provocou importantes distúrbios.

Até o momento só tinha sido divulgado um vídeo onde se vê ao policial Derek Chauvin pressionando com seu joelho o pescoço de George Floyd; mas agora aparece outra gravação tirada de um ângulo diferente no qual se vê outros agentes envolvidos.

Em plena onda de indignação, surgiu um novo vídeo do ocorrido, no qual se vê que antes de que Floyd fosse imobilizado no chão, houve briga no interior do veículo policial.

O New York Times reconstruiu em um vídeo chocante com imagens de várias câmeras de segurança, vídeos de testemunhas e documentos oficiais que mostram como uma série de ações dos agentes acabou com a vida deste homem negro. São 8 minutos e 46 segundos desde a sua detenção até à sua morte.

Este vídeo mostra quando o Floyd é forçado a sair do carro por um polícia e é empurrado contra a parede. Nesse momento o detido conversa com os agentes. Estes o prendem entre dois e o levam contra o carro. Mas em vez de colocá-lo no veículo, os policiais o jogam no chão. Durante vários minutos, o funcionário Chauvin pressionou o joelho esquerdo sobre o pescoço da vítima.

“Por favor, por favor, por favor, não posso respirar. Por favor”, ouve-se a Floyd, enquanto agoniza. Tinha sido detido sob suspeita de ter tentado usar uma nota falsa de 20 dólares em um supermercado.

Porque prenderam o George Floyd?

No dia 25 de maio, um funcionário de uma mercearia ligou para a polícia a dizer que o George Floyd lhe tinha comprado um maço de cigarros com 20 dólares falsos.

Na chamada feita ao 911, o funcionário disse ao operador que havia exigido que lhe devolvessem os cigarros, mas que “ele (Floyd) não quer fazê-lo”, conforme mostra uma transcrição da chamada.

O empregado indicou que o homem parecia “bêbado” e que “não estava sob controle de si mesmo”, segundo a transcrição. Pouco depois da chamada, dois policiais chegaram ao local.

Floyd estava sentado com outras duas pessoas em um carro estacionado. Depois de se ter aproximado do carro, um dos agentes sacou a arma  e ordenou ao Floyd que mostrasse as mãos.

Segundo este policial, inicialmente Floydresistiu ativamente a que o algemassem”, mas conseguiu fazê-lo.

O polícia afirma que quando tentaram colocar o Floyd no carro da polícia, este lutou com o argumento de que era claustrofóbico. Depois chegou o agente Derek Chauvin para ajudar a pôr o Floyd na patrulha.

Mas nas gravações o Floyd aparece algemado e deitado no chão virado para baixo.

Nessa altura, as testemunhas começaram a filmar o Floyd e apanharam o Chauvin ao pôr o joelho no pescoço do afro-americano.

“Não consigo respirar”, diz repetidamente Floyd, implorando a sua mãe e implorando “por favor, por favor, por favor”.

Durante 8 minutos e 46 segundos, o Chauvin manteve seu joelho no pescoço do Floyd, de acordo com o relatório do Ministério Público.

Aos 6 minutos Floyd havia parado de brigar por sua vida. Quando Chauvin retirou seu joelho este já não se movia.

O colocaram em uma ambulância e uma hora depois foi declarado como morto.

Até agora, só o Chauvin foi formalmente acusado de homicídio em terceiro grau, ou seja, aquele em que o assassino não tem intenção de causar a morte.

Deixe seus comentários