“Quem achou que sucumbiríamos, perdeu”, diz Bolsonaro na Marcha Para Jesus

A Marcha Para Jesus recebeu no palco da concentração a presença do presidente Jair Bolsonaro (PSL), que falou sobre problemas de “ética, moral e de economia” que o país enfrenta, e também agradeceu às orações feitas por sua recuperação do atentado sofrido em Juiz de Fora (MG).

“Quem achou que sucumbiríamos, perdeu”, diz Bolsonaro na Marcha Para Jesus

Usando uma camiseta da Marcha Para Jesus, o presidente afirmou que tem os evangélicos em grande estima: “Quem achava que sucumbiríamos logo no início, perdeu. Nós temos a verdade e o povo maravilhoso ao nosso lado, que são vocês. Não mais amigos agora, irmãos”.

Em outro trecho, afirmou que seu mandato será dedicado a combater desmandos: “Todos sabem que nosso país tem problemas seríssimos de ética, moral e de economia. Mas entendemos que podemos reverter isso, podemos ser o ponto de inflexão e fazer com que o Brasil realmente um dia seja colocado no lugar de destaque que ele merece”, disse Bolsonaro.

Essa foi a primeira vez que um presidente da República compareceu à Marcha Para Jesus. O evento em São Paulo reuniu três milhões de pessoas ao longo das 12 horas de duração, de acordo com os organizadores.

Antes da chegada de Bolsonaro, o governador do estado, João Doria (PSDB) participou do evento, acompanhando a festa de cima de um trio elétrico. O presidente chegou ao evento no meio da tarde, e comentou que “se o povo quiser” há a possibilidade de se candidatar a reeleição no próximo pleito.

“Se tiver uma boa reforma política eu posso até jogar fora a possibilidade de reeleição. Agora, se não tiver uma boa reforma política e se o povo quiser, estamos aí para continuar mais quatro anos”, declarou Bolsonaro, segundo informações do jornal O Globo. Essa declaração recebeu apoio dos líderes evangélicos neopentecostais presentes ao evento, como os apóstolos Estevam Hernandes, Valdemiro Santiago e Cesar Augusto.

Deixe seus comentários