Peru substitui Dia das Mães por ‘Dia das Lésbicas’

O Ministério da Mulher no Peru eliminou o Dia das Mães para celebrar o “Dia das Lésbicas”.

Esta celebração foi condenada a ser removida do calendário de 2020 para ser substituída por “Dia das Rebeliões Lésbicas Feministas na América Latina e no Caribe”.

Qualquer celebração que dignifica a família tradicional foi eliminada

Além disso, este ministério eliminou a celebração do “Dia da Criança nascer” em 25 de março.

O Dia da Família, celebrado no segundo domingo de setembro, também foi omitido do calendário desde 1982 como uma lei estabelecida.

Este mandato tem sido mandatado desde 1982 para que essas celebrações contribuam para a exaltação da família com ações que promovam a existência normal da família com os papéis correspondentes.

“Esta agenda visa substituir tudo o que sabemos”

“Quando olhamos para o calendário festivo proposto pela Ministra da Mulher, onde ela elimina a celebração do Dia das Mães, do Dia do Nascituro e do Dia da Família, para o Dia do Orgulho do LGTBI, o Dia Contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia ou dia rebelde Lés vemos mais claramente que isso mais se parece com o Ministério do Gênero e não com as Mulheres”, disse Sergio Burga, Gerente de Defesa Política do Escritório para a América Latina.

“Lamento que este Ministério tenha assumido uma agenda mais radical que visa eliminar todas as noções de sexo binário e substituí-lo pelo ‘vale-all’ envolvendo seu conceito de gênero”, concluiu.

Este calendário foi lançado em 4 de janeiro da conta do Twitter @MimpPeru, mas foi excluído e ninguém sabe por quê.

Deixe seus comentários