Missionários levam comida e oram pelas prostitutas nas ruas de Fortaleza no Brasil

Os missionários do Iris Global levaram alimentos físicos, emocionais e espirituais para pessoas em situações de pobreza e prostituição em pelo menos 11 bairros de Fortaleza (CE), em parceria com o programa Pátria Voluntária e a Fundação Banco do Brasil.

Em média, 430 pessoas, que compreendem 144 famílias de comunidades carentes ou em prostituição, receberam cestas básicas e itens de higiene pessoal. A ação ocorre como uma forma de alívio durante a pandemia do novo coronavírus.

O Iris Fortaleza é uma das 650 organizações cadastradas no programa Pátria Voluntária do governo federal, que reúne mais de 15 mil voluntários e já beneficiou mais de 650 mil pessoas com ações sociais.

Segundo o pastor e missionário Bruno Teixeira, diretor de missões em Iris Fortaleza, o apoio do programa, liderado pela primeira-dama Michelle Bolsonaro, é um avanço para o terceiro setor.

“Vejo essa atitude e apoio como expressão clara do que significa ser cristão”, disse Bruno à mídia Guiame. “No Brasil, o trabalho social foi visto durante muito tempo como fonte de lucro. Ao ver o País todo comprometido hoje, podemos avaliar que essa iniciativa tem como bem maior a preocupação com a população mais vulnerável”.

Mostrando o amor de Deus

Uma dos principais focos do Iris Global é oferecer não apenas ajuda física aos necessitados, mas também levar essas pessoas ao amor de Deus.

“Capacitamos nossos missionários com essa visão, de não somente promover ação humanitária”, explica Bruno. “Acreditamos que o Evangelho transforma e temos visto isso ao longos dos anos. A ajuda, o socorro, a doação são somente a porta de entrada, o meio pelo qual temos para pregar as Boas Novas”.

Durante a entrega das doações, Bruno informa que as pessoas, de maneira geral, estão abertas para ouvir o Evangelho e receber uma oração. “Temos observado uma gratidão muito grande e o sentimento de serem lembrados e não esquecidos nos momentos difíceis. Essas pessoas têm experimentado a bondade de Deus e o amor prático de Jesus em ação na vida delas”, diz.

Uma destas experiências foi vivida pelos missionários com uma mulher que esta em situação de prostituição, mas que demonstrou seu desejo de abandonar esta vida difícil.

“Ela começou a ter muitas experiências com Jesus e perceber o quanto necessita ser transformada por Ele. Diminuiu suas saidas para a rua e começou a procurar um trabalho em um salão de beleza. Ela começou recentemente este trabalho, mas com a situação da pandemia, estava passando bastante necessidades”, disse Bruno.

“Ela foi uma das beneficiadas com a cesta básica do programa Pátria Voluntária e, no dia seguinte, nos mandou uma mensagem dando glória a Deus por Ele ter provido. Ela estava triste durante aquela semana, orando sobre sua situação financeira, e logo depois veio a provisão. Ela sentiu muito o cuidado de Deus sobre ela”, acrescentou.

Uma senhora, que moradora de uma comunidade pobre em Fortaleza, reconheceu o cuidado de Deus ao receber doações de abóboras e leite da kombi missionária. “Ela trabalha vendendo água nos semáforos e por causa da quarentena não podia sair de casa, estando há duas semanas sem trabalho. Ela disse: `Graças a Deus que vocês chegaram aqui, já não sabia como seria essa semana para comer, todo a nossa comida acabou e já tenho me virado por uma semana´. Jesus chega no momento certo!” lembra Bruno.

Sair às ruas para espalhar o amor de Deus com prevenção

O missionário deixa também uma mensagem de incentivo para os cristãos que querem fazer o mesmo: “sair às ruas para espalhar o amor de Deus, tomando todas as prevenções durante a pandemia”.

“Lembramos sempre da passagem onde Jesus alimenta uma multidão de homens, mulheres e crianças, com apenas 5 pães e 2 peixes. Isso nos faz pensar que ser cristão não é somente alimentar o espírito, o que para nós, acreditamos ser o fundamental. Mas ser cristão também requer alimentar o físico, já que temos corpo que tem suas necessidades diárias”, diz.

“Nosso conselho aos cristãos é simplesmente seguir o exemplo do nosso Mestre, que nos ensina que melhor é dar, do que receber. Não temer mesmo nos momentos difíceis; como cristãos, precisamos entender que passar por situações difíceis e desafiantes faz parte do nosso papel de sermos luz. Na história da igreja, observamos que estes foram os momentos em que a igreja esteve mais forte e relevante. Na prática, nós temos visto vidas alcançadas pela ação do Evangelho e temos tido a oportunidade de exercer nosso papel como cristãos, abençoando outros, independente de religião, sendo a prova viva do amor de Deus em nossa missão. É necessário parar por um”, destaca o missionário.

Deixe seus comentários