“Fogo do céu” mata feiticeiros em pleno ritual satânico

Em Uganda, os sacrifícios de parte de feiticeiros converteram-se em uma prática comum do país, mas estes têm recebido seu castigo ao ser fulminado por uma espécie de fogo “do céu” que veio sobre eles.

“Fogo do céu” mata feiticeiros em pleno ritual satânico
“Fogo do céu” mata feiticeiros em pleno ritual satânico

Missioneiros de Brasil tem contado a experiência de como os feiticeiros foram queimados enquanto se preparavam para o ritual, pois estes como “costume ancestral” sacrificam aos meninos.

Joel Engel é o líder de movimento missioneiro em Uganda, este foi a visitar a cidade de Kasese ao oeste do país, que é onde fica o reino de Bahiira (onde se reconhecem tribos e com seus reis), quando chegaram se enfrentaram a uma espécie de situação de conflito e tensão mas se mantiveram em oração.

“Quando tomei a palavra, me dei conta de que estávamos rodeados de feiticeiros. Eles estavam fazendo encantamento contra nós. A sensação era que nós seríamos servidos no jantar. Eu estava indignado com aquilo. Se nós fomos naquele lugar e não mudamos nada, não adiantaria à gente ir”, contou.

Enquanto o pregava, declarou palavra de liberdade para essa população e caísse todo reino e sacrifícios de meninos fossem retirados, e ao mesmo tempo Deus colocasse alguém com propósito nesse lugar; semanas após a partida dos missioneiros, o presidente de Uganda, Yoweri Museven, destituiu ao rei Tribal e ordenou sua detenção para nomear a um novo rei.

Mas com estas novas medidas, seguiam os sacrifícios e ritos com os meninos, Engel inteirou-se da continuidade da situação e enviou-lhes uma mensagem em sua língua dizendo-lhes que “fogo do céu” cairia sobre todos aqueles que fizessem malefícios e bruxaria com os meninos do lugar, ao mesmo tempo em que Força Global de Oração levantou intercessão pelos afetados.

Um pastor do lugar, de nome Mangeni, contou como três pessoas que faziam os ritos morreram queimadas por fogo “do céu”, estes faleceram dantes de que pudessem lhe fazer dano aos meninos, devido ao impacto do caso, o governo luta por manter as causas das mortes em segredo.

“O governo de Uganda aceitou o que sucedeu, mas eles disseram que têm que proteger a cultura de seu povo. Eles acham que as exibições de tais coisas na televisão e os meios sociais mostram a debilidade do governo”, contou o pastor, que as pessoas que morreram estavam de cheio com as atividades de magia negra.

“As pessoas que morreram não são pessoas comuns, mas eram pessoas importantes. A polícia não pode dar um relatório dizendo que morreram por causa do fogo do céu, eles disseram que ainda estão pesquisando”, afirmam as autoridades do caso, quem têm decidido manter confidencialmente o caso.

Isto segue assim, apesar de que o presidente de Uganda é cristão e tem lutado fortemente com este tipo de manifestações satânicas, mas a ameaça para os que se atrevam a reportar os casos de assassinato podem criar alguma guerra interna pois ainda existe pessoas que defendem esta “cultura”.

Deixe seus comentários