Estuprada, torturada e queimada: uma mulher grávida e seu filho morrem em novo ataque do Boko Haram

Em um novo ataque, o grupo terrorista do Boko Haram assassinou 30 pessoas, destacando uma mulher grávida e seu filho.

O nordeste da Nigéria, perto do Lago Chade, porta-vozes do governo local disseram a uma agência de notícias que pelo menos 30 pessoas foram mortas em um ataque do Boko Haram; as vítimas foram queimadas até a morte.

Nigéria vive nos piores ataques do Boko Haram

Babagana Umara Zulum, porta-voz do governador de Borno, disse que as mortes mais cruéis foram as de uma mulher grávida e seu bebê, que estavam em um grupo viajando de uma aldeia para outra.

Esses viajantes estavam acampando em uma vila perto de seu destino quando perderam o toque de recolher de sua localidade (17h), pois estavam a uma distância consideravelmente longa.

Lá naquele momento, o grupo Boko Haram chegou e ateou fogo neles até suas mortes; fontes mais próximas do que aconteceu dizem que o número exato de mortos não está disponível, mas que eles podem ser de 30 a 40 pessoas mortas.

No mesmo lugar, os terroristas queimaram 18 veículos nos quais grandes quantidades de alimentos seriam transportadas para os mercados locais; os proprietários dos caminhões foram assaltados, saqueados e posteriormente mortos.

Uma morte ultrajante para uma mãe e seu filho

Testemunhas afirmam que conseguiram resgatar alguns corpos do incêndio, como o da mulher grávida e seu filho: “Eles queimam por toda parte. O fogo ainda estava aceso até esta manhã. Ainda estamos procurando muita gente por aqui”, explicou Shehu Tanko.

Sobre este último caso, a CNN afirma que a vítima foi abusada sexualmente e queimada até a morte, enquanto seu bebê teve seu bebê esmagado na cabeça.

Há muitos assassinatos nas mãos deste grupo terrorista, incluindo dois pastores de associações cristãs na Nigéria; Ele também tem o comando de meninas muito jovens anteriormente sequestradas de suas escolas.

Deixe seus comentários