10 pessoas foram decapitadas em Moçambique, incluindo crianças

267

O grupo islámico Al-Shabbab atacou a população de novo.

O crime aconteceu na cidade Olumbi, na província de Cabo Delgado. Dez pessoas foram decapitadas pelo grupo islâmico Al-Shabbab. Não há eletricidade no local e a polícia só tem o testemunho dos sobreviventes.

As mortes perpetradas foram marcadas pela crueldade. Muitas pessoas dizem que há muitos moradores saindo das zonas rurais, em busca de segurança, pois eles não querem morrer. A maioria da população moçambicana é cristã, enquanto os islâmicos são 20%. Alguns cidadãos foram às ruas pedir providências das autoridades, dizendo não querer uma “guerra religiosa”, como já acontece em outros países do continente africano.

Há uma investigação que afirma que pessoas usam o radicalismo islâmico para ganhar seguidores, pois eles pagam muito dinheiro, o qual é fruto de rotas de comércio ilegal.

O grupo Al-Shabbab está em Moçambique desde o ano passado. A violência foi intensificada na região com horríveis ações que causaram muitas mortes. Muitas pessoas afirmam que sejam centenas, mas o governa diz que não tem perdido o controle de todo. Em uma operação em curso no país, pelo menos 300 muçulmanos foram presos e várias mesquitas foram fechadas, acusadas de radicalizar moradores. 

Deixe seus comentários